A Luminosidade do Espírito

Alguns organismos têm a propriedade de gerar luz própria através de uma reação química em seus corpos. É a chamada “bioluminescência”. Trata-se, aliás, de um tipo de luz bastante eficiente, com um rendimento muito melhor do que a luminosidade emitida por qualquer lâmpada artificial.

A bioluminescência é comum na vida marinha, particularmente em grandes profundidades, nas chamadas “regiões abissais”, quilômetros abaixo da superfície. Nessas regiões, quase todos os peixes, moluscos e outros bichos (alguns com formas estranhíssimas) emitem luz própria, com o objetivo de repelir predadores, atrair presas, estabelecer comunicação ou simplesmente iluminar mesmo. Fora dos oceanos, a bioluminescência é bem mais difícil de encontrar. Ela aparece em alguns poucos insetos como os vaga-lumes, em certas larvas e aracnídeos, e em raras espécies de fungos conhecidos como “cogumelos luminosos”, tal como este da imagem.

As almas humanas também parecem à primeira vista emitir uma luz própria. Elas se mostram mais ou menos luminosas dependendo do que trazem consigo. Almas egoístas, carregadas de pendores pouco limpos, são densas e escuras, ao passo que almas voltadas para uma vida altruística, que almejam a pureza e a evolução espiritual, são claras e resplandecentes.

Todavia, almas mais puras ou purificadas não brilham por si mesmas, mas sim se adaptam ao querer do espírito, pois a alma de matéria mais fina é apenas um dos invólucros do espírito, o único realmente vivo no ser humano (bit.ly/3h6IUwM).

Quem reluz, por conseguinte, é o espírito. É esse espírito humano, imbuído de legítimo amor ao Criador e aos semelhantes, que brilha realmente por si mesmo. Uma alma limpa apenas deixa passar desimpedidamente as irradiações luminosas do espírito dentro dela, e por isso parece brilhante. Contudo, ela também não se tornou limpa por acaso, mas sim justamente porque reveste um espírito que traz consigo anseio pela Luz e se esforça em ascender.

Dessa circunstância adveio também o sentido da expressão: “o espírito molda o corpo”, pois a vontade espiritual (o “coração do homem” nos textos bíblicos) traz em si a força para moldar a alma, o invólucro de matéria mais fina do espírito: “É o coração do homem que modela o seu rosto, quer para o bem, quer para o mal” (Eclo13:31). Se o coração estiver voltado unicamente para o bem, a alma se tornará belíssima, límpida como cristal.

A luminosidade do espírito, ou luminescência espiritual, é maior ou menor dependendo da pureza e dos anseios que movem o espírito humano em sua passagem pela Terra, revestido de seus invólucros materiais.

(Conheça as obras publicadas pela Ordem do Graal na Terra. Acesse: bit.ly/livros-OGT.)

Este post em áudio: bit.ly/LQ140602.

Roberto C. P. Junior

______________________________

Confira os posts desta página já convertidos em áudio acessando as plataformas a seguir:

 

RECEBA O NOSSO BOLETIM EM SEU E-MAIL!

--