O Dia Sem Amanhã

Roberto C. P. Junior é espiritualista, mestre em ciências, membro da Academia de Letras e Artes de Portugal, integrante da Ordem do Graal na Terra e autor de seis obras, dentre as quais:
 O Dia Sem Amanhã, CapotiraO Filho do Homem na Terra. Responsável pelo blog e pela página "O Dia Sem Amanhã".

A Palavra-Chave

Uma espécie de desalento costuma se abater, não poucas vezes, entre os que se esforçam em progredir espiritualmente. O desânimo toma conta de um aqui, de outro ali, de outro acolá, quando têm de verificar que, apesar de seus esforços, tornam a cair nos mesmos erros, sempre e sempre de novo.

Qual a causa dessa repetição indesejada? Por que isso acontece?

Acontece porque, em primeiro lugar, esta não é a primeira vez que pisamos na Terra. Cada um de nós tem atrás de si várias vidas, em que cometeu erros e acertos, e teve de arcar com as respectivas consequências, cedo ou tarde. Quando os erros cometidos têm a forma de pendores (http://on.fb.me/1EdZy3K), o problema é mais grave, pois pendores “pendem” literalmente na alma, conforme o nome já diz, e ressurgem novamente numa nova vida terrena. Pois apenas o corpo físico muda em cada encarnação, enquanto a alma é sempre a mesma.

Os pendores obliteram o livre-arbítrio e arrastam a pessoa ainda não suficientemente fortalecida no íntimo para os mesmos erros que lhes deram origem. Mesmo quando ela reconhece que são, de fato, erros, e que, portanto, não deveria mais cometê-los, ela frequentemente sucumbe à inclinação dos pendores e os pratica novamente.

Só mesmo uma forte vontade para o bem, uma vontade legítima e sobretudo permanente, inabalável, pode, pouco a pouco, enfraquecer os pendores que a alma carrega consigo, libertando-a finalmente disso, e tornando o livre-arbítrio novamente desimpedido.

A permanente boa vontade em todos os pensamentos, palavras e ações desencadeia um círculo virtuoso, trazendo completa libertação a quem estava acossado pelo mal, protegendo-o, com eficácia cada vez maior, de voltar a cair nos mesmos erros provocados pelos pendores. Não instantemente, mas sim aos poucos, na medida exata da sinceridade em melhorar. Essa é a única maneira de se libertar dos males aderidos à alma. A chave da liberdade atende pelo nome de “perseverança".

Só quem persevera no caminho do bem, sem se deixar influenciar por nocivos pensamentos externos, mas persistindo nesse caminho a despeito das muitas tentações da vida (http://on.fb.me/1I6J3q8), somente este poderá, pouco a pouco, lentamente, limpar sua alma de toda a sujeira nela acumulada na atual vida e também nas anteriores. É o próprio espírito humano que deve proceder à limpeza de seu invólucro mais fino – sua alma. É ele mesmo, portanto, que precisa “lavar” suas vestes. (Ap22:14)

A chave para se conseguir a necessária purificação interior é, por conseguinte, a “perseverança”, a incansável força de vontade dirigida para o bem. Não esmorecer, mas tirar ensinamentos inclusive das pretensas vitórias do raciocínio, que tantas vezes nos conduziram a caminhos errados. Reconhecer esses falsos caminhos e as consequências danosas que daí nos advieram, para que numa próxima situação sigamos unicamente a rota preconizada pelo espírito, mediante o livre-arbítrio não mais tolhido.

(Conheça as obras publicadas pela Ordem do Graal na Terra. Acesse: http://bit.ly/ogt-catálogo.)

Roberto C. P. Junior

(http://bit.ly/rcpjunior)

______________________________

Confira os posts desta página já convertidos em áudio acessando as plataformas a seguir:

RECEBA O NOSSO BOLETIM EM SEU E-MAIL!

--