Agronews

1º Seminário Avicultura Digital destaca manejo ideal no inverno

Copacol

O manejo adequado do aviário no inverno reflete em redução de custos, ganho de peso e desenvolvimento uniforme das aves: condição ideal da criação até o abate. Dois pontos considerados fundamentais para um resultado satisfatório – temperatura e ventilação – foram discutidos no 1º Seminário Avicultura Digital Copacol.

O especialista em frango de corte da Cobb Vantress na América do Sul, Otávio Conde, que é médico veterinário formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul e pós-graduado em competências gerenciais pelo Instituto Icami no México, foi o convidado a participar da live mediada pelo gerente de Integração Aves Copacol, Douglas da Silva.

Otávio destaca que embora a avicultura tenha como objetivos principais a baixa conversão alimentar, baixa mortalidade e ganho de peso diário, a preocupação também deve estar voltada a uniformidade das aves. “Não podemos perder de vista o padrão necessário ao frigorifico. A preocupação deve estar voltada com a qualidade de carcaça – uniformidade de tamanho e peso. As máquinas – tanto de evisceração, depenagem ou corte – são automáticas, quando há diferença em peso e tamanho há reflexos de custos”, explica o especialista.

Medidas implantadas nesta época fria do ano garantem qualidade das aves, principalmente na fase inicial de vida. Entre 7 e 14 dias de vida do pintinho, a temperatura ambiente deve estar entre 31ºC e 33ºC. “Na primeira semana de vida há todo o desenvolvimento esquelético e órgãos internos. Se não há uma correção da temperatura teremos pesos baixos e estruturas desuniformes”.

FASE INICIAL
O ganho de peso da ave se demonstra acelerado nos primeiros 15 dias, com conversão alimentar negativa: os pintinhos ganham mais peso, com baixo consumo de alimentos. “Com a temperatura ideal do ambiente posso obter ganho de peso na ave, com pouco alimento”.

Durante a live, Otávio apresentou análise de lotes, onde a média de ganho de peso ficou em 182 gramas na semana, com coeficiente de variação de 13,8%, evidenciando uma desuniformidade: 14% das aves estavam acima do peso, 12% abaixo – reforçando a necessidade de cuidados com a temperatura. “As aves que tiveram maior peso nos primeiros dias de vida estavam próximas do forno de aquecimento, onde a temperatura era de 30ºC – já as que estavam distantes tiveram peso bem menor, onde a temperatura era de 26ºC”.

Para avaliarmos um bom desempenho, multiplicamos o peso inicial da ave por 4,6. Por exemplo, se o peso inicial é de 50 gramas, a ave deverá chegar a 230 na primeira semana.

ÁGUA E VENTILAÇÃO
Quando as condições de alojamento são inadequadas logo no primeiro dia, a uniformidade dos lotes piora. Por isso, uma das recomendações do especialista é que a cama do aviário tenha a temperatura ideal no momento do alojamento, entre 32ºC e 33ºC – isso deve ocorrer entre 24 horas e 48 horas antes de receber os pintinhos. “Por isso, muitas vezes o ideal é deixar o equipamento com a temperatura entre 34ºC e até 36ºC, pois a aferição é da temperatura do ar e não da cama”.

A temperatura da água também interfere no resultado, devendo ficar entre 10ºC e 14ºC, sempre abaixo de 20ºC, o que aumenta o consumo de água e gera melhor desenvolvimento da ave na fase inicial – quando precisa de energia para o desenvolvimento esquelético.

A ventilação mínima também é necessária para renovação de oxigênio, redução de umidade, remoção dos gases e poeira. Quando falta ventilação, a tendência é a geração de maior umidade de cama, o que compromete o conforto das aves a e aumenta as incidências de doenças para o lote. Os parâmetros recomendados são de mais de 19,6% de oxigênio, menos de 3 ppm de CO2 e menos 10 ppm de amônia.

 

 

Leia também: 

Valter Pitol destaca o cooperativismo e a atuação pioneira da Copacol

Apresentações em comemoração ao "Dia C" contam com participação da Copacol

 

Siga o Jornal Integração nas redes sociais e fique bem informado:

 

RECEBA NOSSA NEWSLETTER EM SEU EMAIL

Deixe seu email aqui. Preservamos sua privacidade.