A Copacol abriu na manhã desta quarta-feira dia 09, a 28ª edição do Dia de Campo, que contou com a abertura realizada pelo presidente da Cooperativa, Valter Pitol. 

Na sequência os cooperados tiveram a oportunidade de acompanhar palestra, com o consultor da FC Stone, Etori Baroni, que apresentou os cenários as a tendências do mercado agrícola e as oportunidades que devem ser aproveitadas pelos produtores. 

Ainda durante o primeiro dia do evento, foi realizada palestra com demonstrações e painel sobre regulagem de equipamentos, com o professor especialista da Unioeste, Emerson Fey. 

Outro tema abordado no encontro foi a estria bacteriana: uma nova ameaça para a cultura do milho’, que inclusive foi uma doença que teve diagnosticada através de estudos e pesquisas desenvolvidas no CPA (Centro de Pesquisa Agrícola) da Copacol. 

Aplicação de corretivos e fertilizantes a lanço, sistemas de produção para aumento de produtividade, e vitrine de cultivares de soja, foram assuntos abordados durante o primeiro dia do evento. E para encerrar foi servido almoço aos participantes. 

Participaram os cooperados de Cafelândia, Jesuítas e Carajá, Iracema do Oeste, Jotaesse e Palmitolândia. 

O consultor da FC Stone, Etori Baroni, disse que a expectativas de mercado são boas, mas o clima adverso, com baixa incidência de chuva e com isso caiu a expectativa de produção, que antes era de 19,8 milhões de toneladas e agora foi baixada para 17 milhões de toneladas em nível de estado do Paraná. 

“Mesmo em nível nacional vamos ter uma queda de produção. Antes a estimativa era de 120 milhões de toneladas e agora já se trabalha com uma produção de entre 114 e 115 milhões de toneladas”, diz o especialista. 

Ele disse que o produtor da Copacol já é munido de muita informação, uma vez que Cooperativa prover essas informações para o cooperado no dia a dia e agente que ele vem melhora a comercialização ano a ano. 

Com relação ao milho safrinha que já começa a ser semeado na região, Baroni diz que visualiza um clima dentro da normalidade. 

“A safra brasileira de soja foi antecipada e assim o milho também está sendo antecipado e isso vai possibilitar que a cultura possa evitar frio mais intenso que acontece no mês de julho e diante disso a expectativa é de boa produtividade e se isso se confirmar os limites de preços poderão ficar um pouco mais baixos”, explicou o consultor. 

O cooperado Elci Dal Galo, que sempre participa dos Dias de Campo, mas uma vez aproveitou a oportunidade para conhecer as novas tecnologias para a produção de grãos. 

“Isso aqui é uma vitrine, o que a gente vê aqui a gente tenta implantar em nossa propriedade, sabemos que não é fácil, mas é o primeiro passo. A gente tem que ter o conhecimento, a população ideal de semeadura, de variedades e com isso a gente vai implantado no campo as novas variedades. No ano passado eu experimentei uma variedade nova e hoje estou com 50% de minha área com essa variedade”, conta o produtor. 

A cooperada de Jotaesse, Dulce Glingue, deixou de ir a campo colher a soja e tirou um tempinho para participar do Dia de Campo. Ela disse que sempre participa, pois é nos eventos como esse que se aprende a produzir mais. 

“A Copacol para mim é uma família, sempre procurando melhor a genética, melhorar a produção e assim a vida do cooperado”, destaca Dulce. 

Nesta quinta feira dia 10, será vez dos cooperados das Unidades de: Formosa do Oeste, Universo, Goioerê, Nova Aurora, Central Santa Cruz, Melissa e Palmitópolis, participarem dia de Campo. 

RECEBA O NOSSO BOLETIM EM SEU E-MAIL!

--