Comportamento

Acusação de abuso sexual contra técnico Sampaoli agita imprensa argentina

Uma grave acusação se espalha pela Argentina e agita o ambiente da seleção do país a poucos dias da estreia na Copa do Mundo. O jornalista Gabriel Anello, da rádio argentina Mitre, disse que o treinador Jorge Sampaoli foi acusado de abuso sexual por uma cozinheira da sede da Federação Argentina de Futebol (AFA).
A acusação ocorre através de um áudio de Anello que se espalhou por diversos grupos de Whatsapp do país e foi divulgado pelos principais jornais argentinos.
Anello disse em áudio que viralizou que "houve uma falta de conduta do técnico da seleção no prédio da AFA com uma cozinheira que trabalha lá. Na AFA estão tentando por todos os meios que a mulher não denuncie, mas todas as pessoas que falei confirmam o caso".
O jornal argentino Clarín traz explicações policiais e de pessoas próximas a Jorge Sampaoli sobre a acusação.
O Clarín publicou falas de pessoas próximas a Sampaoli classificando a acusação como "loucura" e que Sampaoli não descarta processar o jornalista que deu a informação.
Quem é próximo de Sampaoli não acredita na denúncia do jornalista. "Não sei como alguém pode dizer isso. É uma loucura", disseram ao jornal argentino.
O Clarín e o Olé também divulgaram imagem do que seria um comunicado interno da polícia argentina sobre o tema. Os jornais explicam que por conta das constantes ligações de jornalistas para falar sobre o assunto, decidiu emitir um comunicado ressaltando que "não há denúncias recebidas sobre o tema".
"Tomamos conhecimento das notícias nas redes sociais sobre denúncia de abuso sexual contra o técnico Jorge Sampaoli ocorrido no prédio da AFA de Ezeiza (Argentina) em que a vítima é uma funcionária. No momento não existe denúncias a respeito do tema", diz o comunicado.

RECEBA O NOSSO BOLETIM EM SEU E-MAIL!

--