Saúde

Após mortes, vacina de febre amarela é ampliada para todo o Estado de SP

A secretaria de Saúde do governo Alckmin (PSDB) decidiu, neste sábado (6), ampliar a vacinação contra a febre amarela para todo o Estado. Até então, a imunização estava centralizada em regiões da Grande São Paulo.
A medida foi tomada após a confirmação de três novos casos de infecção em humanos na Grande São Paulo. Em dois deles, os pacientes morreram em Mairiporã. As vítimas estavam na cidade a passeio para as festas de fim de ano. A terceira paciente infectada, uma mulher de 27 anos, permanecia internada na noite deste sábado em estado grave no Hospital das Clínicas, na capital paulista.
Por meio de nota, a pasta informou que a decisão de estender a vacinação para todo o Estado segue critérios "epidemiológicos, com a priorização de áreas com corredores ecológicos".
A estratégia, a partir de agora, será a de disponibilizar doses concentradas -aquelas com validade por toda a vida- em áreas de risco. As fracionadas, que imunizam por até nove anos, serão aplicadas nas demais regiões do Estado.
De 2017 até agora, foram confirmados 27 casos de febre amarela silvestre em humanos. Destes, 12 pessoas morreram. As mortes foram registradas nas cidades de Américo Brasiliense, Amparo, Batatais, Monte Alegre do Sul, Santa Lúcia, São João da Boa Vista, Itatiba e Mairiporã.
A secretaria informou ainda que localizou ao todo 2.588 primatas mortos entre julho de 2016 e dezembro de 2017. Exames laboratoriais confirmaram a contaminação por febre amarela em 595 primatas mortos.
A transmissão da febre amarela para os macacos é feita pelo mosquito haemagogus, comum na mata. Os primatas, apesar de hospedeiros do vírus, não o transmitem à população -quem o faz são os mosquitos Aedes aegypti, após picarem alguém já infectado.
A imunização não é indicada para gestantes, mulheres que estão amamentando crianças e nem para pacientes que fazem quimioterapia, radioterapia e tomam corticoides em doses elevadas, como os que têm lúpus, por exemplo.
Desde outubro, 26 parques municipais e estaduais foram fechados nas zonas norte, sul e oeste da capital e na Grande São Paulo. Eles estão em regiões que fazem divisa com cidades onde macacos morreram de febre amarela.
Ciclos de transmissão Sintomas Sintomas da febre
Prevenção Vacinação
- Crianças: a partir dos 9 meses (6 meses em áreas de risco)
- Adultos não vacinados: uma dose
Para evitar picadas
- Repelente (evitar os que também têm protetor solar)
- Aplicar o protetor antes do repelente
- Não usar repelentes em crianças com menos de 2 meses
- Evitar perfume em áreas de mata
- Roupas compridas e claras (ou com permetrina)
- Mosqueteiros e telas
Controle do mosquito
- Evitar água parada e tomar os mesmos cuidados da dengue, porque há risco de a doença ser contraída pelo Aedes aegypti (o que não acontece no Brasil desde 1942)
Distância de áreas de risco
- Evitar áreas de mata com registros da doença; caso vá viajar a esses locais, tome a vacina ao menos dez dias antes
Tratamento - É apenas sintomático, com antitérmicos e analgésicos (anti-inflamatórios e salicilatos como AAS não devem ser usados)
- Hospitalização quando necessário, com reposição de líquidos e perdas sanguíneas
- Uso de tela, por exemplo, para evitar o contato do doente com mosquitos
Febre

RECEBA O NOSSO BOLETIM EM SEU E-MAIL!

--