Comportamento

Assis do Couto pede a saída de Blairo Maggi do Ministério

FOTOS: Alexandre Amarante - Liderança PDT

A falta de políticas que amenizem a crise gerada pelos embargos da União Europeia à importação de carne de aves brasileira, bem como o processo de desindustrialização do setor de Agricultura e Pecuária levaram o deputado federal Assis do Couto (PDT-PR) a pedir a saída do ministro Blairo Maggi do cargo. O parlamentar criticou duramente a atuação do ministro e apresentou um requerimento convocando Blairo Maggi a comparecer na Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural (CAPADR) da Câmara. 

“O ministro Blairo Maggi é o principal responsável pelo que está acontecendo no País, na Agricultura e na Pecuária Brasileira, e deveria refletir se deve ou não continuar na pasta, porque o setor está passando por um momento de extrema dificuldade. Não no setor de grãos, de commodities, mas no setor de industrializados, de carne em especial, por falta de políticas, por falta de governo. Eu tenho convicção de que o atual ministro não representa um Brasil que quer e precisa se industrializar”, afirmou o parlamentar. 

Assis do Couto ressaltou que, antes mesmo da União Europeia anunciar oficialmente os embargos à carne de aves brasileira, solicitou a criação de uma Comissão Externa na Câmara para avaliar a situação. Porém, após a constituição da Comissão Externa, da qual ele é coordenador, decidiu-se pela criação de uma Comissão Especial destinada a estudar e formular proposições relacionadas ao embargo à importação. Porém, até o momento, a Comissão Especial não foi constituída porque muitos partidos ainda não indicaram os membros para compor.   

“Agora, além da União Europeia, tivemos mais uma decisão da China ...

cooperativa Sicredi

... de taxar a importação de carne de aves entre 18% e 38%. Vão quebrar o setor. Onde está o governo? Onde está o Ministro? E nós, esta Comissão ou o Congresso Nacional está omisso. Se nós não conseguimos instalar uma Comissão Especial diante de tão grave problema, há sim uma omissão desse Congresso”, frisou Assis. 

Por fim, o parlamentar afirmou que, caso a Comissão Especial não seja constituída de forma urgente, vai dar seguimento nos trabalhos da Comissão Externa, que conta inclusive com uma programação já definida. “Ficamos aguardando a Comissão Especial entrar em funcionamento para extinguí-la, mas como a comissão Especial não foi instalada nós podemos dar andamento na Comissão Externa para fazer algo”, afirmou ao ressaltar que a Comissão Externa espera, há mais de 30 dias, a resposta a um ofício encaminhado ao ministro Blairo Maggi através do qual solicita informações a respeito dos embargos. 

“Se depender deste parlamentar, homem público e também agricultor familiar, o bom seria que o ministro pedisse o boné e deixasse o Ministério. Tá bom para ele, que é um dos maiores exportadores de grãos do País, ele não depende da exportação de frango. O frango agrega valor, o frango gera emprego, o frango gera desenvolvimento como o peru e outras carnes processadas. E nós temos um ministro que só vê na sua frente exportação de grãos, de commodities, de matéria-prima”, ressaltou Assis.

RECEBA O NOSSO BOLETIM EM SEU E-MAIL!

--