Cotidiano

Aumento do nível do rio Paraná libera barcaças com grãos, diz Itaipu

O nível do rio Paraná subiu três metros nesta semana após abertura de vertedouro da hidrelétrica de Itaipu, permitindo movimentação de mais de 150 barcaças com grãos que estavam paradas devido a uma seca histórica que prejudica o transporte de grãos de Argentina e Paraguai, informou nesta sexta-feira a usina binacional, citando informações de armadores.

A estiagem prejudicou o transporte fluvial de 200 mil toneladas de soja produzida nos departamentos de Alto Paraná e Itapúa (Paraguai), o equivalente a 100 milhões de dólares em exportações.

“Foi um grande alívio e uma grande ajuda o fluxo de água que começou a liberar Itaipu”, disse o vice-presidente do Centro de Armadores Fluviais e Marítimos do Paraguai, Juan Carlos Muñoz, segundo nota de Itaipu.

“Porque tínhamos 152 barcaças paradas havia 50 dias por causa da baixa do rio”, explicou.

Para o diretor-geral brasileiro da Itaipu, general Joaquim Silva e Luna, a medida adotada por Itaipu para ajudar o Paraguai e a Argentina a escoar a safra vai permitir um alívio ao setor nos países vizinhos.

É pela hidrovia Paraguai-Paraná que passa grande parte da produção agrícola do Paraguai e da Argentina em direção aos portos de Buenos Aires e Montevidéu, no Rio da Prata.

Os primeiros comboios começaram a passar pela eclusa da barragem de Yacyretá (usina binacional pertencente ao Paraguai e a Argentina) já na terça-feira, destacou Itaipu.

A medida também facilitará a movimentação de barcaças vazias para embarcar aproximadamente mais 1,5 milhão de toneladas de soja, que representam mais 600 milhões de dólares, de acordo com Muñoz.

O vertimento deve durar até o final de maio, com a liberação (defluência média) de aproximadamente 8.500 metros cúbicos de água por segundo (considerando vazão turbinada e vertimento).

RECEBA NOSSA NEWSLETTER EM SEU EMAIL

Deixe seu email aqui. Preservamos sua privacidade.