Cotidiano

Brasil, o 4º país mais infeliz do mundo

Crises, desemprego, corrupção, aumento na violência e ai vai, são tantas coisas que estão acontecendo no decorrer dos últimos anos, que até desanima. De acordo com o “World happiness report” (relatório mundial de felicidade), feita pela empresa de opinião Gallup, o Brasil é 4º país mais infeliz do mundo.

Além dos mais variados fatores que podem influenciar no resultado da pesquisa, o brasileiro anda desacreditado. Segundo o psicólogo Rafael J. Martins, a população brasileira esta desanimada tanto com o passado, presente e até mesmo futuro da nação. “Desde 2013/2014 o país esta passando por muitas turbulências, é crise, é desemprego, é corrupção e isso acaba cansando as pessoas e este resultado, é uma consequência de anos desanimadores, abalando assim não somente a economia, como a saúde e tantos outros, mas também o próprio psicológico do brasileiro”.

A microempreendedora Sofie Marcela conta como foi difícil passar pelos anos de crise e da onde tirou forças para manter seu negócio. “De fato os últimos anos foram bem difíceis para todos. Eu fiquei desempregada por quase dois anos, até que então eu encontrei uma forma de trabalhar para mim mesma, mas é bem complicado. Esse ano eu espero que com o novo governo as coisas comecem a melhorar logo porque eu acho que se mais um representante politico, no caso o presidente, fazer  o mesmo que os outros, ai acredito que o povo irá cair de vez, porque a gente não aguenta mais ver isso. Se alguém de fora fala sobre o Brasil, o mercado e tudo mais são mais pra criticar, pois se nem a gente que é brasileiro esta positivo com o país imagina quem está de fora”.

Mesmo com tantos ocorridos negativos, ainda tem brasileiros que acreditam em uma melhora para o futuro, mas também á quem acredita que não. O que nos resta?  Apenas esperar, acreditar e lutar, pois um país mesmo que apareça negativo em algumas pesquisas, sem seu povo, nada ele é explica Emílio Geronimo. “Se o povo desanimar, ai o país empaca e se afunda. Agora, se com o resultado dessas pesquisas, os governantes tomarem a frente, a gente ajudar no que pode ai sim poderemos ver uma saída positiva para o nosso país”.

RECEBA O NOSSO BOLETIM EM SEU E-MAIL!

--