Esportes

Bryan Ruiz se esquiva sobre camisa 10 e fala em encerrar carreira no Santos

Folhapress

O meia costarriquenho Bryan Ruiz foi apresentado pelo Santos no início da noite desta quarta-feira (11), na Vila Belmiro. Recebido com a camisa 10, entregue pessoalmente pelo presidente José Carlos Peres, o primeiro reforço do clube durante a pausa para a Copa do Mundo ainda não garantiu a utilização do número, esquivando-se de um possível mal-estar com o atacante Gabriel Barbosa, atual 10 santista.
"Sei a responsabilidade de chegar a esse clube, principalmente porque a equipe está atrás [no Campeonato Brasileiro] e precisa melhorar no meio de campo, um dos motivos pelo que estou aqui. Sei a responsabilidade de jogar no meio de campo do Santos, mas o número não é importante. O importante é o que está na frente da camisa, o símbolo do Santos. Se for numero 10, 40 ou 60, não importa", disse o jogador que, na sequência, não escondeu o desejo de vestir o número histórico santista.
"Será muito bom vestir a camisa muito 10, a história é muito grande, mas o pensamento maior é pelo que está na frente, o escudo do Santos", completou.
Bryan não escondeu em sua primeira entrevista que tinha como principal meta pessoal a permanência na Europa. O novo reforço, porém, agradeceu o empenho dos dirigentes santistas para contratá-lo e que pensa, inclusive, na possibilidade de encerrar a carreira no novo clube. O término do contrato será em dezembro de 2020.
"Seria um sonho para mim, mas vai depender do meu desempenho, também, de como as coisas vão acontecer aqui. Sinto-me bem para render o máximo ainda. Vou me esforçar para que os dois anos e meio sejam bons e depois tomar uma decisão. Terminar a carreira aqui seria um sonho, é uma grande equipe", afirmou.
Apesar de toda a aposta do Santos em seu novo reforço, o meia já avisou que viajará para Portugal para resolver detalhes de sua mudança e que combinou uma semana de descanso com a família, na Costa Rica, antes de se apresentar ao técnico Jair Ventura.
Com isso, Bryan não deve estar presente para o clássico contra o Palmeiras, no próximo dia 19, no estádio do Pacaembu, em duelo válido pela 13ª rodada do Brasileiro.
O costarriquenho receberá pouco menos de R$ 400 mil de salário mensal no Santos, mas com luvas parceladas e impostos, o jogador deve custar aproximadamente R$ 600 mil mensais aos cofres do clube paulista.
Com Bryan Ruiz, a cúpula santista enfim espera resolver o problema do setor mais carente do elenco: meia-armador. Desde que Lucas Lima deixou o clube após o término de seu contrato para assinar com o Palmeiras, o Santos não encontrou um jogador para a posição. As opções internas não resolveram: casos de Vecchio, Jean Mota, Léo Cittadini e outros.

RECEBA O NOSSO BOLETIM EM SEU E-MAIL!

--