Esportes

Cafelândia em movimento

Treinos em casa ajudam alunos das escolinhas esportivas de Cafelândia a manterem atividades físicas na rotina

Alexander Dyego Fávero Almeida


A Secretaria Municipal de Esportes e Lazer de Cafelândia (SMEL) tem driblado o isolamento social para continuar o trabalho com os mais de 800 alunos com idade entre 05 e 17 anos que participam dos esportes apoiados pelo Município.

Desde a decisão da suspensão das atividades esportivas, sob recomendação dos órgãos de saúde, todas as praças esportivas foram fechadas, interrompendo assim a continuidade dos trabalhos. Além da paralisação das escolinhas de futsal, basquetebol, tênis de mesa e voleibol, as competições regionais, campeonatos municipais, futebol de campo, futebol sete livre, futebol sete master e campeonato do interior entre comunidades foram suspensos.

Para que os alunos não sofressem com esta medida, a SMEL, em reunião com o quadro funcional optou pela modalidade de treino a distância, em que os professores orientam os alunos via whattsapp com atividades a serem realizadas.

A decisão de continuar o trabalho com os alunos em Cafelândia tem sido fundamental pela amplitude do projeto esportivo social e de competição, além da quantidade de crianças e adolescentes participantes. O professor de futebol Renato Semenssi explica que foi preciso adaptar o plano de aula aos alunos, com orientações para que realizem as atividades dentro da própria casa e evitem sair neste período. Em relação a comunicação pelo whattsapp, todos tem sido participativos e a união em prol deste projeto está obtendo reflexos positivos. “Nós já tínhamos o grupo, então foi só adaptar. Cada professor desenvolve seu plano de trabalho teórico e prático, e se comunica com os alunos pelo grupo de whattsapp. Estamos tendo uma boa aceitação. Os pais elogiaram a iniciativa da Secretaria de Esportes de Cafelândia, eles mesmo incentivando e acompanhando o comprometimento dos filhos.”

O professor de futsal das categorias de base, Alexander Dyego Fávero Almeida, conta que a decisão dos treinos a distância com materiais disponíveis e improvisados em casa tem possibilitado aos alunos continuidade ao aprendizado sobre os esportes que participam, para que, quando voltar à normalidade não precisem recomeçar o trabalho realizado ao longo dos anos.

“Nós enviamos atividades práticas e teóricas, como a história do esporte, copa do mundo. A gente manda alguns jogos para elas assistirem, até para os mais novinhos entenderem a importância. Os treinos são atividades que as crianças fazem na pratica, como os fundamentos do futsal, no meu caso, trabalhar o passe, domínio, coordenação motora, lateralidade, pois a criança precisa estar sempre treinando para não esquecer, sempre ativa”

Em relação ao espaço para executar os exercícios recomendados, o professor Sandy (como é conhecido), afirma que obstáculos existem, mas isso não impede que os alunos realizem os treinos com determinação. “Passamos os exercícios conforme os dias de treino. Não precisa de muito espaço, até porque é improvisado, então, cada um no seu limite. É uma coisa ...

Moinho Consolata

... que a gente cobra, mas entendemos as dificuldades. Contamos com a ajuda dos pais para incentivar e ocupar as crianças também”.

Além de todos os benefícios já mencionados, os alunos tem exercitado ainda a responsabilidade e foco com o compromisso assumido junto a cada um dos professores das modalidades em que participam. Assim, quando os treinos voltarem a acontecer nos locais originais, todos estarão preparados para os próximos desafios.

Um exemplo é o estudante e atleta de 12 anos Gabriel Ramos Lesniewski, que treina futebol há quatro anos e participa também das competições. Desde que os treinos começaram a ser praticados em casa, ele tem contado com a ajuda da família para se motivar e aprender ainda mais sobre o esporte que escolheu: o futebol. Como atua na posição de volante, Gabriel explica que os professores tem passado exercícios referentes aos que realiza em campo, como agilidade e coordenação motora.

De acordo ele, a atenção e ajuda dos professores tem contribuído para este período. “Eles passam várias opções de treinos, dicas e demonstrações de como realizar, o que torna tudo mais fácil. Eu sinto falta do gramado, principalmente pelo espaço para correr, me movimentar. Claro que depende de cada um, mas a gente não pode parar.”

Para o professor Renato, o êxito deste trabalho é a soma de parceria e planejamento, principalmente neste momento em que o contato com todos tem sido reduzido e o desenvolvimento de cada um não pode estagnar. “Tudo o que fazemos é muito bem pensado. Cafelândia tem sucesso porque todas as atividades, sejam recreativas ou competições, é tudo planejado”, finaliza.

 

 Campeonato do Interior

Cafelândia tem sido destaque nos últimos anos pelo trabalho realizado com as categorias de base e também nos torneios regionais. Uma das competições que tem atraído atenção é o “Campeonato do Interior”, realizado em parceria com o Sicredi Nossa terra, em que só participam equipes que moram ou tem vínculo com o interior do Estado. Os jogos são realizados aos sábados, com atrações para os espectadores e brindes. Este ano tem previsão de 5 modalidades em disputa. São elas: futebol sete masculino, truco masculino, bola cesto misto, tiro ao alvo e pênalti feminino.

RECEBA O NOSSO BOLETIM EM SEU E-MAIL!

--