Economia

Cesta Básica: queda nos valores pelo segundo mês consecutivo

No mês de agosto, o valor da Cesta Básica individual de alimentos teve uma queda de R$ 369,74 para R$ 351,89. Isso se deve às baixas registradas nesse mês em comparação ao mês anterior. Em Cascavel, 13 produtos foram analisados pelo projeto de extensão “Determinação Mensal do custo de Cesta Básica de Alimentação em Cascavel – PR” da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste).

Dentre os produtos analisados, os que tiveram uma alteração significativa foram o tomate e a batata, marcando uma queda de, respectivamente, -39,28% e -16%. De acordo com o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (DIEESE), o aumento da oferta do tomate do tipo rasteiro no atacado refletiu na queda do preço do tomate do tipo salada. Conforme o Grupo de Pesquisa em Economia, Agricultura e Desenvolvimento da Unioeste - Francisco Beltrão, o tomate também apresentou redução significativa no seu valor médio nos três municípios pesquisados na região Sudoeste do Paraná: Pato Branco -25,86%, Francisco Beltrão -20,86% e Dois Vizinhos -16,96.

Por outro lado, dos itens pesquisados, oito produtos apresentaram elevações nos preços, com destaque para a banana, que teve um aumento de 55,10%. Segundo o DIEESE, o preço médio deste produto aumentou em 13 capitais. A elevação do preço no varejo foi resultado da baixa oferta e aumento da quantidade exportada da fruta. Também tiveram destacadas variações positivas no preço o leite (+5,93%), o óleo de soja (+3,44%), a margarina (+3,27%), o café em pó (+2,43%), o feijão preto (+1,86%).

Mensalmente, acompanhado ao Boletim Informativo da Cesta Básica de Cascavel, sempre é realizado um comparativo ao poder de compra do trabalhador, baseado no valor da Cesta Básica e do salário mínimo. A queda no valor da Cesta Básica de alimentos em Cascavel fez com que o peso da mesma no Salário Mínimo Bruto do trabalhador diminuísse de 37,05% para 35,26%. Já em termos de Salário Mínimo Líquido, passou de 40,27% para 38,33%. Portanto, pelo segundo mês consecutivo, houve aumento no poder de compra do trabalhador. Desde o início da pesquisa, este e o menor percentual da Cesta Básica Individual em relação ao Salário Mínimo Bruto e Líquido observado.

Tendência Nacional

O valor da Cesta Básica em Cascavel manteve-se menor que o de grandes capitais como Curitiba, Porto Alegre, Florianópolis e São Paulo, mas maior que nas cidades do Sudoeste Paranaense. Assim como em Cascavel, o Valor da Cesta Básica de Alimentos registrado em agosto foi inferior àqueles observados em fevereiro (quando iniciou a pesquisa em Cascavel), em todos os municípios acompanhados.

A série de dados coletados desde fevereiro permite afirmar que houve aumento no poder de compra, isto é, com o mesmo salário mínimo é possível comprar uma maior quantidade de produtos em agosto do que em fevereiro de 2019. Essa tendência também foi observada em relação ao Salário Mínimo Necessário tanto em Cascavel, quanto em nível nacional.

RECEBA O NOSSO BOLETIM EM SEU E-MAIL!

--