Cotidiano

Clima influencia queda em produtos da Cesta Básica

Central de Notícias Unioeste

Segundo dados levantados pelo projeto de extensão “Determinação Mensal do custo de Cesta Básica de alimentação em Cascavel-PR” da Universidade Estadual do Oeste do Paraná  (Unioeste) no mês de julho, o valor da Cesta Básica individual de alimentos, no município de Cascavel, comparado ao mês anterior, sofreu uma queda de 2,05% passando de R$ 377,49 para R$ 369,74.

A pesquisa analisou treze alimentos. Desses, sete apresentaram queda de preço, o tomate (7,93%), a batata (10,54%), a banana (4,30%), feijão preto (3,33%), café em pó (2,70%), óleo de soja (1,84%) e o açúcar (0,34%) foram os mais significativos. De acordo com o Departamento, entre junho e julho de 2019, houve tendência nacional de queda nos preços do feijão, do tomate, da banana e do óleo de soja.

Segundo o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese), a redução dos preços da batata e do tomate é consequência das condições climática, ou seja, as temperaturas mais altas favorecem o desenvolvimento dos produtos e a oferta aumentou, provocando uma diminuição nos preços para varejo.

Por outro lado, alguns produtos apresentaram elevação nos preços; em nível nacional, os preços do arroz agulhinha e do açúcar aumentaram na maior parte das cidades: Segundo o DIEESE, o preço do arroz agulhinha aumentou em 13 cidades. As taxas variaram entre 0,26%, em Fortaleza, e 4,40%, em Florianópolis. Quanto ao açúcar, o preço do produto subiu em 11 cidades e as taxas variaram entre 0,44%, em Fortaleza, e 5,96%, em Natal.

Em Cascavel, os itens que registraram maior variação o positiva foram: pão francês (5,74%) e a margarina (4,49%). Já os itens com menor variação o positiva foram: arroz (0,40%), farinha de trigo (0,24%) e a carne (0,14%).

A queda do valor da Cesta Básica individual de alimentos, em Cascavel fez com que o peso da Cesta no Salário Mínimo Bruto do trabalhador passasse de 37,82% em junho para 37,05% em julho. Já o percentual em relação ao Salário Mínimo Líquido diminuiu de 41,11% para 40,27%. Portanto, diferentemente do mês de junho, houve um aumento no poder de compra do trabalhador

Na região Sudoeste do Paraná e nas capitais selecionadas, os produtos da Cesta Básica também registraram queda: em Pato Branco, de 8,23%; em Dois Vizinhos, 4,67%; em Floriano polis, 2,38%; e, em SãoPaulo, 1,70%. Nota-se que o valor da Cesta Básica em Cascavel continua significativamente menor que o de grandes capitais como São Paulo, Porto Alegre, Floriano polis e Curitiba. Neste mês, o valor da Cesta Básica de Alimentação em Porto Alegre (R$ 493,22) superou o valor registrado em São Paulo (R$ 493,16).

A queda de 2,05% no valor da Cesta Básica Individual também provocou uma diminuição na mesma proporção no valor da Cesta Básica Familiar que passou de R$1.132,46 em junho para R$1.109,22 em julho. Dessa forma, o Salário Mínimo necessário para a compra de alimentos e outros itens básicos para uma família de dois adultos e duas crianças em Cascavel caiu de R$3.171,28 em junho para R$3.106,19. Considerando a queda no valor da Cesta Básica em termos nacionais, o Salário Mínimo necessário nacional caiu de R$4.214,62 para R$ 4.143,55 no mesmo período.

O movimento de queda também foi observado em todas as capitais brasileiras. Segundo o Departamento, as principais quedas foram registradas em Aracaju (6,04%), Natal (4,02%), Rio de Janeiro (3,89%) e Recife (3,81%).

RECEBA O NOSSO BOLETIM EM SEU E-MAIL!

--