O governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL) decidiu prorrogar a Operação Acolhida, criado para receber e redistribuir a outras partes do país os venezuelanos que chegam a Roraima fugindo da crise econômica e política provocada pelo regime do ditador Nicolás Maduro. 
O anúncio foi feito pelo governador Antonio Denarium (PSL) durante a visita de cinco ministros a Boa Vista para conhecer algumas das instalações da iniciativa. Pelo orçamento aprovado no governo Michel Temer (MDB), a operação terminaria em 31 de março.
"A necessidade de prorrogação foi um entendimento do governo brasileiro. O fluxo de entrada continua. Se parar esse processo, para a interiorização", disse nesta quinta-feira (17) à reportagem o governador Antonio Denarium, que esteve na semana passada em Brasília para discutir o assunto com o presidente.
A comitiva é formada por Fernando Azevedo (Defesa), Osmar Terra (Cidadania), Ricardo Vélez (Educação) Luiz Henrique Mandetta (Saúde) e Wagner de Campos Rosário (Transparência). Nesta sexta (18), eles irão a Pacaraima (230 km de Boa Vista, na fronteira com a Venezuela.
É a primeira visita de ministros do governo Bolsonaro ao estado desde que ele tomou posse, em 1º de janeiro. 
Durante a tarde, os ministros estiveram no centro de triagem, em área de acolhimento para imigrantes em situação de rua e em dois abrigos.
Ouviram explicações sobre o funcionamento e interagiram com venezuelanos - a secretária Nacional de Justiça, Maria Hilda Marsiaj Pinto, chorou ao ouvir o relato de uma mulher que carregava um bebê nos ombros.
ARTIGO DE BOLSONARO
Em artigo publicado nesta quinta-feira (17) no jornal Folha de ...

Cafè Gosto Bom

... Boa Vista, Bolsonaro afirmou que o Brasil "jamais poderia abandonar à própria sorte centenas de venezuelanos que tentam, diariamente, sobreviver à crise humanitária venezuelana".
No texto, o presidente lembrou que o país recebe relativamente poucos imigrantes. "A Colômbia continua sendo o principal destino, enquanto Panamá, Argentina e Espanha recebem mais venezuelanos que o Brasil."
Curiosamente, o artigo foi publicado com pouco destaque. Não recebeu chamada na capa e ficou no pé da página, embaixo de outros três artigos. O jornal afirma que foi um erro de diagramação.
Até agora, já foram enviados para outros estados 4.292 venezuelanos. Outros 6.500 imigrantes estão distribuídos em 13 abrigos, e há cerca de mil dormindo na rua.
Em média, cerca de 550 venezuelanos ingressam em Roraima por dia. Desse total, menos 5% ficam no estado - os demais voltam para a Venezuela ou continuam a viagem a outras regiões e países vizinhos do Brasil.
Cerca de 80 mil venezuelanos solicitaram refúgio no Brasil nos últimos quatro anos, segundo o Conare (Comitê Nacional para os Refugiados). Na Colômbia, foram registrados 865 mil imigrantes do país caribenho até o final do ano passado.

RECEBA O NOSSO BOLETIM EM SEU E-MAIL!

--