Economia

Consórcio imobiliário: uma solução para quem não consegue poupar

Foto: Pixabay

Ter uma reserva financeira é difícil para a maioria dos brasileiros. De acordo com pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), em novembro de 2017 apenas três em cada dez brasileiros conseguiram chegar ao fim do mês com dinheiro sobrando. No entanto, as intenções para 2018 são otimistas: estima-se que 45% da população pretende economizar este ano e 27% tem como meta sair do vermelho, segundo outro levantamento, realizado pelo SPC Brasil em parceria com a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) entre os meses de novembro e dezembro de 2017.

Na opinião de Tatiana Schuchovsky Reichmann, diretora-superintendente da Ademilar Consórcio de Investimento Imobiliário, o desafio vem de um contexto histórico. “Economizar é difícil porque sempre priorizamos o prazer imediato, isso faz parte da nossa cultura. Na década de 90, com a inflação flutuante, era preciso correr para o mercado antes que o preço dos produtos aumentasse. E assim criamos essa sensação de imediatismo. Para quem não tem disciplina para poupar, o consórcio imobiliário é uma opção certeira” explica.

O consórcio funciona como uma poupança programada. O consorciado adquire uma cota com um valor determinado de crédito e paga parcelas mensais para a formação do fundo comum do grupo. Por meio de sorteio, realizado pela Loteria Federal, e lance, um ou mais participantes são contemplados por mês e têm o direito de utilizar o dinheiro arrecado pelo grupo. O crédito pode ser usado para comprar, construir ou reformar imóveis, quitar financiamento ou o saldo devedor de imóvel na planta e até mesmo para planejar uma aposentadoria imobiliária. “Com o consórcio, o cliente investe em um mercado seguro e garante um futuro tranquilo”, ressalta Tatiana.

E o consumidor está bastante aberto a essa modalidade de compra parcelada. O setor de consórcio imobiliário encerrou positivamente o mês de novembro de 2017 segundo dados da Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios (ABAC). O aumento da venda de novas cotas foi de 34,7%, alcançando-se a marca de R$ 35,8 bilhões em créditos comercializados - um crescimento de 54,9% entre os meses de janeiro a novembro de 2017, se comparado ao mesmo período de 2016. A Ademilar, empresa pioneira na venda exclusiva de consórcio de imóveis no Brasil, ilustra bem este cenário. Em janeiro de 2018, a empresa registrou crescimento geral de mais 30%, em relação ao mesmo mês do ano passado.

RECEBA O NOSSO BOLETIM EM SEU E-MAIL!

--