Agronews

Copacol divulga vencedores do concurso “Produtividade Excelência 460” da safra 19/20

Youtube

Focada em seu novo Propósito Estratégico RG Copacol, para acompanhar os avanços tecnológicos e alcançar novos patamares de produção de grãos, a Cooperativa lançou em 2019, o projeto “Produtividade Excelência 460” que destaca o maior índice de produtividade de soja e milho na área de atuação da cooperativa, que vai se estender até 2023. Em ano atípico por conta da pandemia, a cooperativa realizou na noite de ontem, 29 a premiação do concurso, via streaming no Youtube, Canal Oficial da Copacol, com apresentação do assessor de imprensa, Josimar Bagatoli, do engenheiro agrônomo e gerente técnico, Thiago Madalosso e a participação do pesquisador da CPA, João Maurício.

O projeto tem por desafio elevar a produção dos cooperados para 180 sacas de soja por alqueire e 280 sacas de milho por alqueire, primando sempre pela qualidade em todos os processos da Cooperativa e dos serviços oferecidos aos produtores. Atualmente são 193 produtores cooperados participantes do concurso, que se divide em seis regiões: 01) Nova Aurora e Palmitópolis;  02) Jesuítas, Carajás e Iracema do Oeste; 03) Jotaesse e Palmitolândia; 04) Goierê e Universo; 05) Cafelândia, Central Santa Cruz e Melissa; 06) Formosa do Oeste.

O engenheiro agrônomo, João Maurício Roy, pesquisador responsável do CPA, apresentou números e gráficos sobre a precipitação e o rendimento das regiões. Para ele o Projeto Excelência garante bons resultados. “Com a adoção das tecnologias e manejos adequados, o cumprimento das recomendações feitas pelo CPA e equipe técnica, temos condições de alcançar a proposta do projeto que são 460 sacas de soja e milho o alqueire por ano”, destaca João.

O presidente da Cooperativa, Valter Pitol, que fez uma participação especial no início e fim da premiação, destacou a importância do Projeto para os cooperados. “Com a adoção das tecnologias pelos nossos associados, sustentados pelo nosso Centro de Pesquisa e equipe agronômica, temos a certeza que teremos a excelência em produtividade de soja e milho, o que viabiliza a atividade”, diz Pitol. Segundo ele, com o incentivo ao aumento de produtividade, a Copacol está contribuindo e fazendo a sua parte que é buscar as informações técnicas para que o produtor possa produzir cada vez mais. “Esse é papel da Cooperativa, buscar tecnologia para que o produtor posse ser cada mais eficiente e essa eficiência se transforma em resultado econômico”, destaca o presidente.

Veja divulgação completa da Cooperativa aqui:

Segundo o engenheiro Thiago, para a cooperativa chegar aos vencedores foi preciso dar peso nos seguintes critérios de avaliação:

Produtividade de soja (sc/alq) peso 8

Incremento de produtividade de soja (sc/alq) peso 4

Produtividade de milho (sc/alq) peso 4

Incremento Produtividade de milho (sc/alq) peso 2

Rentabilidade do sistema (RS/ha) peso 0,1

Qualidade de grãos (tipo1, tipo2, tipo3 e b. padrão) peso 20

Atuação do cooperado (nível 1,2,3 e ...

Moinho

... 4) peso 10

Profissionalização técnica do cooperado (eventos) peso 10

Desempenho técnico do profissional (0-10) peso 10

Alavancas de produtividade peso 10

O engenheiro destacou que dos 193 participantes do Programa, foram selecionados 24 produtores finalistas que apresentaram números significativos de produtividade, totalizando 561 sacas na soma da produtividade de 360 sacas de milho com 201 sacas de soja, ou seja, 22% a mais que a média de todos os participantes do programa que foi de 283 sacas por há de milho e 175 sacas/há soja.  Já com uma média maior se comparado com a produtividade do Paraná que foi de 220 de milho e 158 de soja e dos produtores associados da Copacol 227 sacas de milhos e 161 de soja. Sem dúvida, com o manejo adequado e adoção das tecnologias e o auxílio da cooperativa, os produtores que participam do Programa conseguem, mesmo contra as intempéries e às vezes preços baixos, um resultado positivo na combinação da produtividade soja/milho.

Os vencedores na contagem geral ganharam uma viagem para duas pessoas, além do técnico que acompanhou o concurso, para os Estados Unidos, que será feita, provavelmente, em 2021 depois da vacina da Covid-19. Além dos dois vencedores da premiação geral, foram premiados os melhores de cada região, somando as seis regionais, os ganhadores vão ser agraciados com uma viagem para Foz do Iguaçu.

O segundo colocado na classificação geral foi o produtor João Paulo Mariussi com 5.788,8 pontos auxiliado pelo técnico André Luiz de Moura da região 3, Jotaesse e Palmitolândia, ele produziu 243 sc/alq de soja e 398,5 sc/alq de milho, totalizando 641,5 sacas/alq. E o primeiro lugar ficou com o produtor, Hilário Francisco Schneider com 6.687,5 pontos e auxiliado pelo técnico Vanei Tonini da região 5 de Cafelândia, com 258,7 sacas/alq de soja e 509,1 sc/alq de milho totalizando o recorde de 767,8 sacas de grãos entre soja e milho.

Mario Vicente

Jornal integração

 

RECEBA NOSSA NEWSLETTER EM SEU EMAIL

Deixe seu email aqui. Preservamos sua privacidade.