Cotidiano

Boletim da gripe confirma 83 mortes no Estado desde janeiro

O informe sobre a situação da gripe no Paraná divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde nesta quarta-feira (17) confirma 83 óbitos no Estado em função do vírus. O boletim que é atualizado semanalmente desde janeiro apresentava na publicação anterior 77 mortes por Influenza.

Os seis novos óbitos apontados no boletim desta semana foram registrados nos seguintes municípios: em Ponta Grossa duas mulheres, uma de 72 anos e outra de 67 anos; em Foz do Iguaçu, uma mulher de 88 anos; em Curitiba, uma mulher de 80 anos; em Porecatu, uma mulher de 85 anos, e em São José dos Pinhais, um homem de 80 anos. As mortes ocorreram entre 26 de junho e 9 de julho, período em que começaram a ocorrer as temperaturas mais baixas no Estado.

O boletim totaliza 415 casos confirmados de Influenza no Paraná. Na semana anterior eram 374 casos. As 22 Regionais de Saúde do estado apresentam casos da doença.

“Entre os casos e óbitos confirmados para a Influenza, podemos notar que a idade é um fator de risco”, explica a coordenadora da Vigilância Epidemiológica da Secretaria da Saúde do Paraná, Acácia Nasr. “No caso dos idosos, o sistema imunológico pode apresentar debilidades e, no caso das crianças, está em formação”.

CUIDADOS - A gripe é uma doença causada pelo vírus da Influenza, que ocorre predominantemente nos meses mais frios do ano. A transmissão do vírus acontece por via respiratória, pela inalação de partículas de secreção infectada em suspensão no ar.

A secretaria estadual ressalta no boletim os principais cuidados que devem ser tomados para diminuir o risco de contaminação – a frequente higienização das mãos, manter os ambientes bem ventilados, cobrir o nariz e a boca com a dobra do braço ao tossir ou espirrar e não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas.

A médica destaca que os sintomas da Influenza são febre alta, que surge de forma repentina associada à tosse, dor de garganta, dor de cabeça, dores articulares, calafrios e falta de ar. “E diante da permanência deste quadro orientamos a busca por atendimento médico. O início do tratamento nas primeiras 48 horas evita complicações. A rede pública de saúde tem à disposição o antiviral com Fosfato de Oseltamivir (Tamiflu). O medicamento é fornecido gratuitamente pelas unidades de saúde mediante apresentação da prescrição médica”, disse a médica.

RECEBA O NOSSO BOLETIM EM SEU E-MAIL!

--