Saúde

Cresce uso de aditivos para fertilizantes

Pixabay

“Mesmo que o mercado varie um pouco, o uso de aditivos tem crescido cada vez mais, pois as indústrias acabam incrementando sua linha de produtos, oferecendo fertilizantes mais eficientes e com menor perda de nutrientes durante o processo, armazenamento, transporte e aplicação”. A afirmação foi feita pela engenheira agrônoma Cláudia Nascimento, da Adfert, em entrevista ao Portal GlobalFert.

Ela aponta estatísticas da Anda (Associação Nacional para Difusão de Adubos), segundo as quais os principais indicadores do setor de fertilizantes apontam uma oscilação do volume total de fertilizantes entregues ao mercado, com tendência de queda em 2017. 

“Porém, apenas uma pequena parte desse volume é tratada com aditivos para incremento da qualidade. O maior desafio é como atender essa crescente demanda, para tal a Adfert se prepara tendo alta capacidade de armazenamento de matérias-primas, bem como processo produtivo e logística bem alinhados”, afirma.

Cláudia explica que, de forma geral, os aditivos possuem componentes biodegradáveis e não são corrosivos, inflamáveis ou voláteis. São isentos de contaminações, como metais pesados, por  exemplo. Alguns são solúveis em água, produzidos com compostos orgânicos, com matérias-primas de fontes renováveis. Podem ser armazenados e utilizados à temperatura ambiente, possuem secagem rápida e não migram para o interior dos grânulos após a aplicação. 

“O fertilizante tratado possui maior estabilidade, mesmo em longos períodos de armazenamento, maior escoamento e fluidez tanto no maquinário industrial como no campo em adubadoras e plantadeiras. Os aditivos são para o tratamento de fertilizantes destinados a todos os tipos de cultura, pois beneficiam todas as espécies vegetais”, conclui.

RECEBA O NOSSO BOLETIM EM SEU E-MAIL!

--