Economia

Criptomoeda é um mundo revolucionário e de oportunidades

Associação Comercial e Industrial de Cascavel

Alex durante meetup na noite de quarta-feira, na Acic Labs

Mesmo que muita gente ainda sequer tenha ouvido falar em blockchain e criptomoedas, essa tecnologia já é responsável por movimentar mais de US$ 2 bilhões por dia no mercado global. Como toda inovação disruptiva, essa também veio para ficar e é das mais impactantes, disse na noite de quarta-feira, na Acic Labs, o advogado Alex Sander Gállio. Em meetup na presença de empresários, advogados e formadores de opinião, ele citou que onde há mudanças e quebra de paradigmas há oportunidades para empreender, investir e ganhar dinheiro.

Alex fez uma breve recuperação histórica e apresentou algumas das tecnologias que revolucionaram a humanidade. Em cada uma, conforme ele, há padrões e principalmente a possibilidade de fazer bons negócios e colher resultados. A tecnologia blockchain, que estabeleceu condições para a criação e disseminação das moedas virtuais, surgiu há dez anos. Trata-se de uma cadeia de blocos que integram um sistema de registro coletivo. As informações não ficam em um lugar só e sim distribuídas entre os diversos computadores e recursos similares ligados a ela.

Alguns definem o blockchain como um banco de dados onde estão armazenadas todas as informações de transações com criptomoedas. E esse arquivo gigante é acessível a todos os usuários e a qualquer momento. “Essa é uma das principais diferenças em relação ao sistema convencional, como os bancos. Não é preciso pedir autorização, por exemplo, para fazer um saque. O sistema não está engessado ao horário bancário e as transações podem ser realizadas a qualquer momento”, diz Alex Gállio. “Nesse modelo, o banco somos nós”, ressalta.

O advogado informa que o mecanismo que dá suporte às criptomoedas é imutável e a possibilidade de ocorrer algum tipo de fraude é remota. O Bitcoin foi a primeira, mas atualmente há inúmeras moedas virtuais à disposição e cada uma tem uma característica e uma razão de existir. Quando foi lançado, um Bitcoin valia centavos e hoje o mercado está disposto a pagar US$ 8 mil dólares por ele.

Alex informou também sobre diferenças entre o dinheiro físico e as criptomoedas e apontou que a versatilidade da tecnologia das moedas digitais é tão grande que instituições pelo mundo todo já a reconhece e começam a utilizá-la. Tanto que o Banco Central do Brasil já decidiu que a partir de 2020 as operações de transferência TED e DOC serão feitas pelo blockchain.

O advogado, que há três anos estuda sobre criptomoedas, deu algumas dicas de como investir nesse novo mercado. O primeiro passo é conhecer as moedas disponíveis e então identificar aquela que melhor se enquadra à sua expectativa. É preciso entender como funciona e saber o que quer fazer com ela. Alex fez também o lançamento para Cascavel de uma revista brasileira especializada no tema. A Criptomoedas e Blockchain descomplicadas reúne vários autores brasileiros e tem circulação nacional. O Acic Labs, aceleradora e hub de inovação da Associação Comercial e Industrial de Cascavel, opera em parceria com o Sicoob Credicapital.

RECEBA O NOSSO BOLETIM EM SEU E-MAIL!

--