Cultura & Entretenimento

Filme que critica política militarista de Israel vence Festival de Berlim

Adoro Cinema

O filme israelense "Synonyms", de Nadav Lapid, foi o vencedor do Urso de Ouro, principal prêmio do Festival de Berlim. A história acompanha um jovem que deixa o Exército de Israel por discordar das políticas de seu país e se muda para a França, onde encontra acolhida de um casal parisiense.
Já o francês "Grâce à Dieu", de François Ozon levou a segunda principal honraria, o Grande Prêmio do Júri, por sua contundente denúncia contra os casos de pedofilia cometidos por um padre.
A cerimônia de premiação foi realizada neste sábado (16).
A alemã Angela Schanelec, que usou elipses para construir "I Was at Home, But" levou o prêmio de melhor diretor. O longa é costurado por cenas que, a princípio, parecem não se comunicar num mesmo fio narrativo.
Os prêmios de interpretação ficaram concentrados nos protagonistas do chinês "So Long, My Son", o ator Wang Jingchun e a atriz Yong Mei. Eles fazem um casal atravessado pelo luto e pelas convulsões político-econômicas que afetaram a China nos últimos 30 anos, como a política do filho único e o rescaldo da Revolução Cultural.
O prêmio de melhor roteiro foi para o italiano "La Paranza dei Bambini", que narra a história de um grupo de garotos napolitanos que se infiltram entre as gangues locais. A vitória foi um aceno à trajetória do jornalista Roberto Saviano, autor do livro que inspirou o filme, e que desde 2006 vive sob escolta policial por suas investigações sobre as ramificações da máfia, em especial do grupo criminoso Camorra.
"Talking about ...

Cafè Gosto Bom

... Trees", de Suhaib Gasmelbari, ganhou o prêmio de melhor documentário da edição por seu retrato de três sujeitos que decidem reativar um velho cinema sudanês enquanto lidam com as turbulências políticas do país.
O curta "Rise", da artista brasileira Bárbara Wagner em parceria com Benjamin de Burca, foi vencedor do Audi Short Film Award, concedido pela montadora que é uma das patrocinadoras do festival. A obra documenta atuação de um grupo de jovens rappers e poetas que se encontram num centro comunitário no subúrbio de Toronto.

PRINCIPAIS VENCEDORES
Melhor filme: "Synonyms", de Nadav Lapid (Israel)
Grande Prêmio do Júri: "Grâce à Dieu", de François Ozon (França)
Melhor direção: Angela Schanelec, "I Was at Home, But" (Alemanha)
Melhor ator: Wang Jingchun ,"So Long My Son" (China)
Melhor atriz: Yong Mei, "So Long, My Son" (China)
Melhor roteiro: "La Paranza dei Bambini" (Itália)
Prêmio de Novas Perspectivas: "System Crasher" (Alemanha)
Contribuição artística: "Out Stealing Horses" (Noruega), por sua direção de fotografia

RECEBA O NOSSO BOLETIM EM SEU E-MAIL!

--