Mundo

Diminuição do estudo genético ameaça segurança alimentar

Divulgação

Uma equipe de cientistas liderada por Kate Evans, professora de horticultura da Washington State University (WSU), nos Estados Unidos, realizou um estudo e descobriu que a diminuição das práticas de melhoramento genético irá ameaçar a segurança alimentar. Isso porque, eles afirmaram que os EUA estão vendo uma diminuição no financiamento e no pessoal empregado nessas pesquisas. 

"O melhoramento de plantas desempenha um papel crítico na segurança alimentar a longo prazo deste país ", disse Evans. " Os tremendos aumentos na produção de alimentos no século passado são em grande parte devido ao cultivo de plantas, e a população mundial está apenas aumentando”, completa. 

O foco na segurança alimentar tem recebido mais atenção nos últimos meses, à medida que a pandemia COVID-19 se espalha pelo mundo, afirma ele. "O melhoramento de plantas é uma forma sustentável de longo prazo de abordar as preocupações sobre ter comida suficiente e manter nossas fontes de alimentos seguras", disse Evans, que trabalha no Centro WSU para Pesquisa e Extensão de Árvores de Fruta em Wenatchee. 

O melhoramento de plantas assume várias formas, desde melhorar a tolerância a doenças, aumentar a produção, introduzir novas variedades deliciosas ou melhorar a tolerância à seca. “Pode ser uma doença, uma praga, mudança climática, muitas coisas”, disse Evans. "Não vivemos em um ambiente estável e existem muitas maneiras diferentes de lidar com isso”, completa. 

Os patógenos de plantas, como bactérias e pragas, estão sempre se adaptando, então variedades de culturas que foram cultivadas para combater doenças naturalmente começam a perder suas defesas. Os programas de melhoramento de plantas ajudam os produtores a ficar à frente dessas adaptações potencialmente prejudiciais. 

Siga o Jornal Integração nas redes sociais e fique bem informado:
RECEBA NOSSA NEWSLETTER EM SEU EMAIL

Deixe seu email aqui. Preservamos sua privacidade.