Política

Eleitor declara Amor à Cafelândia com vitória do Dr. Culestino e Valdir Feltrin

Cafelândia, Nova Aurora e Assis Chateaubriand não conseguem reeleger seus atuais prefeitos

Facebook

As eleições municipais deste ano trouxeram algumas surpresas na região para muitos candidatos que pretendiam a reeleição, tanto na Prefeitura, quanto na Câmara Municipal. Embora, para muitos não foi surpresa por causa das pesquisas que apontavam larga vantagem e do desejo de mudança. Em Cafelândia, por exemplo, dos 10.263 votos válidos, 52,84% votaram na coligação “Por Amor a Cafelândia” que deu a vitória ao médico Dr. Culestino (PL) e Valdir Feltrin (DEM). O atual prefeito, Dr. Franus (MDB) ficou em segundo lugar com 2.520 votos e Junior Motter (PSDB) teve uma votação expressiva pela campanha espartana com 2.320 votos o que marca uma nova era na política local.

No Legislativo de Cafelândia, que segue hoje com a pendência do vereador mais votado, Bugrão do DEM, com 675 votos, mas que depende da atualização do TSE no julgamento de sua candidatura para reverter o processo e ser efetivado. Por ora, oficialmente os vereadores que conseguiram se reeleger foram, Charles Roling (DEM), Adilson Alves Garcia (PDT), o professor Fabio Lima (MDB) e Rodrigo Diefenthaler  (MDB). Os novos eleitos foram Edson Anzen (o Torinho) (MDB), Cathia Hellmann (MDB), Roberto Aguiar (Cidadania), Fernanda Dal Prá (PSDB) e Roseli Decken (PDT). Bugrçao aguarda seu julgamento final por causa do processo quando era prefeito e o tornou inelegível tendo suas contas, na época, desaprovadas pela Câmara Municipal. O vereador está confiante que consegue reverter o processo ainda hoje.

Nova Aurora Pecinha volta a comandar a prefeitura

Com quase 60% dos votos válidos, Nova Aurora também não quis manter o emprego do atual prefeito, Pedro da Farmácia (MDB). Volta a comandar o executivo, José Aparecido de Paula e Souza, o Pecinha (PL) que venceu a eleição com 4.806 votos, contra 3.072 de Pedro. O legislativo também registrou um grande revés aos atuais vereadores, onde somente um conseguiu a reeleição, o advogado, Petronilho do PDT. Outra curiosidade em Nova Aurora foi a divisão da Câmara em três partidos: PSD, PDT e CIDADANIA vão fiscalizar e promover as leis do Município.

Os vereadores eleitos foram:

ROBERTO CARLOS CARDOS (PSD) com 545 votos

CLAUDINEI XAVIER DE OLIVEIRA (PDT) com 467 votos

ANGELA MARIA CUSTODIO DOURADO FAVERO (CIDADANIA) com 435 votos

ANGELA MARIA LOVO VOINAROVSKI (PSD) com 412 votos

ROGERIO PETRONILHO (PDT) com 402 votos

JOSE CARLOS ROVERSI (PDT) com 387 votos

ADRIANO DE BIASI (PSD) com 382 votos

REGINALDO BUGLIANI (CIDADANIA) com 317 votos

EVEDER DAL MOLIN (CIDADANIA) com 313 votos

Outra cidade que optou por não reeleger o prefeito foi Assis Chateaubriand, com a vitória de Valtinho do PL que venceu com 10.371 votos contra 9.020 do atual prefeito Aparecido Pegoraro do PSC.

Os prefeitos reeleitos na região foram: Leonaldo Paranhos (PSC) em Cascavel com vitória esmagadora no primeiro turno, com 72% dos votos válidos, 112.181. Em Corbélia, com a candidatura única do atual prefeito Giovani W. Hnatuw (MDB) com 8.288 votos. Em Anahy, Carlos Reis (PDT) também foi reeleito com 65% dos votos, 1.475. Em Formosa do Oeste, Toninho Aguiar (PL) foi reeleito com 3.726 votos, 78% dos votos válidos. Em Jesuítas, Junior Weiller (MDB) não teve dificuldades para se reeleger. Ele fará seu quarto mandato na prefeitura ao vencer sua oponente com 3.920 votos, 67% dos votos válidos.

As eleições municipais mostram uma grande mudança em todo o país. Na região em que circula o jornal Integração, o PL mostrou-se poderoso ao abocanhar cinco prefeituras. Já o partido CIDADANIA também mostra uma nova onda na política local ocupando novas cadeiras no legislativo, assim como as mulheres ganham espaço, aumentando o número de candidatas eleitas e começam a mostrar a vez e voz nas Câmaras Municipais. Em Iracema do Oeste, a professora Elza Rodrigues (PP) foi eleita prefeita com 1.044 votos, 53%, mais uma demonstração da força da mulher.

Que a partir de 2021, a política nos mostre novos caminhos e jeitos de pensar o coletivo de forma mais humana, sensata e evoluída e que seja sem a Covid-19 para que todos possam desempenhar um trabalho efetivo com desenvolvimento sustentável investindo fortemente na educação. Sem pensar a EDUCAÇÃO, não será possível fazer política ao pé da letra, com justiça social.

Por Mario Vicenti

Jornal Integração

RECEBA NOSSA NEWSLETTER EM SEU EMAIL

Deixe seu email aqui. Preservamos sua privacidade.