Trânsito

FGV DAPP contextualiza as estatísticas de acidentes de trânsito no Brasil

Assessoria

O alto índice de mortos e feridos em acidentes em vias públicas em todo o mundo aponta para um quadro complexo da sociedade atual, suscitando questões sobre o papel do Estado e dos cidadãos na segurança do trânsito, e o impacto na economia e na saúde pública. Alvo de uma campanha internacional de mobilização da sociedade civil e de agentes públicos, denominada Maio Amarelo, o tema também apresenta desafios no Brasil. Nesse sentido, a FGV DAPP apresenta nesta publicação uma análise que evidencia os dados públicos disponíveis sobre a segurança viária no país.

É necessário destacar que os dados oficiais sobre o tema são fundamentais para contextualização do problema, permitindo a visualização de ações necessárias para redução dos número de casos no país. A ferramenta DataCrime, elaborada pela FGV DAPP, por exemplo, disponibiliza informações sobre mortes em acidentes de trânsito, considerando dados consolidados pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública e os dados gerados pelo Sistema de Informações sobre Mortalidade do Ministério da Saúde (SIM/MS). Entretanto, a análise mostra que nem todos estados disponibilizam os dados de forma regular e que diversas informações não permitem identificar o cenário atual devido à defasagem dos números.

As estatísticas de trânsito no Brasil

Dados do Ministério da Saúde sinalizam que houve no ano de 2015 (dados mais recentes disponíveis) 38.651 mortes em vias públicas, patamar que coloca o Brasil na quinta colocação entre os países com o maior número de vítimas de trânsito. Os números apontam para um quadro complexo, suscitando questões sobre o papel do Estado e dos cidadãos na segurança do trânsito, e o impacto na economia e na saúde pública.

Em abril de 2018, entrou em vigor no Brasil uma lei federal que prevê o endurecimento das punições em acidentes de trânsito com vítimas no caso de envolvimento de motoristas que estavam sob influência do álcool ou de qualquer outra substância psicoativa que determine dependência. Sabe-se que as mortes no trânsito podem estar relacionadas à um conjunto de fatores, que englobam desde a desorganização do trânsito, as más condições dos veículos e das estradas, até o comportamento dos usuários e a pouca punição conferida aos infratores.

No país, o estado que contabilizou a maior taxa de vítimas fatais no trânsito, em 2015, foi o Piauí com 36,62 mortes por 100 mil habitantes, seguido pelo estado do Tocantins, com uma taxa de 36,10, e o de Roraima, com uma taxa de 32,83 por 100 mil habitantes.

RECEBA O NOSSO BOLETIM EM SEU E-MAIL!

--