Trânsito

Imprudências no trânsito elevam o número de acidentes nas ruas e estradas

A cada ano que se passa, os motoristas ficam mais desatentos. Seja por conta do uso de celular, pela pressa de chegar ao seu destino e assim passar da velocidade permitida, ou até mesmo, a preguiça de colocar o sinto de segurança. Essas coisas são tão pequenas e insignificantes em nosso dia-a-dia, mas acabam gerando o aumento no número de acidentes com automóveis.

A Erika F. Gomes, conta sua experiência em um acidente de trânsito provocado por ela. “Eu estava levando meus filhos de volta para casa após a aula no fim da tarde e então como o trânsito nos horários de bico é caótico, muitas pessoas estavam andando de vagar na pista e como eu estava com pressa, resolvi acelerar e pegar o último amarelo do semáforo, mas na hora em que atravessei, um outro carro já estava passando e eu acabei batendo no meio dele. No carro estava uma senhora de idade no banco de trás e meus filhos também, mas sem o sinto, os dois se machucaram e a senhora do outro carro passou mal, o susto foi tão grande, que hoje em dia, meus filhos colocam o sinto assim que entram no carro e eu não passo mais no último sinal. Foi algo tão rápido e nem pensado, que me fez refletir sobre minhas condutas no trânsito”.

Em muitos casos de acidentes, as pessoas precisam passar pela situação para então ficarem atentas. De acordo com Luciane Ribeiro dos Santos de Moura, professora e especialista em Trânsito da Cettrans de Cascavel, só neste ano, foram registrados 917 acidentes no perímetro urbano da cidade. Ou seja, um aumento de 2,80% em comparação a mesma época no ano de 2018. Já o número de vítimas com ferimento também teve um aumento de 42,92% comparado ao ano passado.

Segundo Luciane, as cinco principais imprudências realizadas pelos motoristas são: 1º Uso do Celular; 2º Cinto de segurança; 3ºConversão em local proibido; 4ºVeículos não licenciados e 5ºCondutores não habilitados. De acordo com a especialista, já foram realizadas 8.143 multas no perímetro urbano de Cascavel neste ano.

Um dos principais problemas no trânsito da cidade é a nova formulação da Avenida Brasil, onde muitas coisas mudaram e até mesmo, novas regras foram colocadas. O Lívio Matthes conta sua dificuldade em se acostumar com as mudanças no local. “Não pode mais fazer conversão a esquerda, não pode entrar na faixa dos ônibus, muitas coisas mudaram e melhoram, isso não posso descordar, mas mesmo assim, moro há 25 anos em Cascavel, todos os dias passo na avenida e quando mudaram houve muito acidente, porque as pessoas não havia se acostumado e outros porque são teimosos como eu, mas complicou bastante para quem precisa atravessar  a avenida, pra quem tem pressa, agora não tem mais as três faixas, pois uma é apenas para os ônibus, então muitos cascavelenses não gostaram da ideia”,

A professora a especialista em trânsito da Cettrans, conta que desde o começo das obras na avenida, a falta de atenção de muitos motoristas e até mesmo a insistência de muitos ao fazer o errado, ocasionaram muitos acidentes. “Em 2014 foram registrados 134 acidentes em toda a extensão da Av. Brasil, já em 2015 foram registrados 531 acidentes em toda a extensão da Av. Brasil. A revitalização da Avenida Brasil teve início em abril de 2015 e foi concluída em março de 2017”.

Se na cidade o risco de acontecer acidentes por conta da falta de cuidado dos motoristas, nas estradas o risco é bem maior. De acordo com a PRF (Polícia Rodoviária Federal), após uma queda em 2018, as mortes no Paraná subiram 27,5% no 1º trimestre de 2019. As colisões frontais e 

Respeitar os limites de velocidade, manter distância de segurança em relação aos outros veículos, ultrapassar apenas quando houver plenas condições de segurança e não desviar a atenção do trânsito. Estas são algumas das principais orientações da Polícia Rodoviária Federal para reduzir o risco de acidentes.

 

A PRF também orienta os usuários de rodovias, mesmo antes de viagens curtas, a fazer uma revisão preventiva do veículo, o que inclui a checagem dos pneus, do sistema de iluminação, dos equipamentos obrigatórios, do nível do óleo e do radiador, entre outros itens.

Também é fundamental planejar a viagem, buscando evitar, na medida do possível, os horários de pico. Dirigir cansado ou com sono aumenta o risco de o motorista cometer erros. A cada três ou quatro horas de viagem, é recomendável uma pausa para descanso ou revezar a direção do veículo.

Motoristas de carretas bitrens com dimensões excedentes, de caminhões cegonhas e de transporte de veículos e cargas paletizadas devem observar as datas e horários de restrições de tráfego, em trechos de rodovias federais de pista simples.

RECEBA O NOSSO BOLETIM EM SEU E-MAIL!

--