Saúde

Já conhece a camuflagem de estrias? É a tatuagem a favor da estética!

Contelle Assessoria de Comunicação

É muito difícil escapar delas. Geralmente na puberdade começam a aparecer as primeiras. Na adolescência, o corpo cresce rápido e isso pode resultar no aparecimento de algumas “fissuras”. Eis que chegam as estrias! Bem comuns também por conta do ganho de peso repentino, elas vão formando linhas nada desejadas. Nas mulheres, principalmente, não é raro que elas apareçam desde cedo por causa do aumento do volume nas nádegas e nas coxas. O processo de “engorda, emagrece, engorda, emagrece”, que é o famoso “efeito sanfona”, também acentua o aparecimento delas. 
 
Os procedimentos estéticos para esses casos evoluem e hoje, aquelas estrias mais novas que são avermelhadas, podem ser tratadas com procedimentos eficientes. Mas existem estrias que evoluem para um quadro mais grave, com aspecto esbranquiçado e que dificilmente consegue ser revertido. É por isso que a busca não é mais por uma forma de eliminá-las, mas sim de disfarça-las. 
 
E se a gente consegue pintar definitivamente a pele para fazer uma tatuagem, por que não utilizar essa mesma ferramenta para esconder marcas que a gente não gosta? Esse é o segredo da camuflagem de estrias, que pigmenta a linha branca deixando-a da cor natural da pele. “É uma tatuagem, mas de forma mais superficial. Pega só a epiderme, a primeira camada da pele. Diferente das tatuagens coloridas que precisam ir até a terceira camada para dar fixação”, explica a esteticista Leninha da Silva do salão Glam Beauty Design, que oferece o procedimento em Cascavel, acrescentando que a técnica é indicada apenas para as estrias brancas e também pode ser aplicada em cicatrizes.
 
A camuflagem é definitiva, mas exige tempo para que seja alcançado um resultado bem satisfatório. “Não tem dor, é bem tranquilo, leva entre duas e quatro horas. Depende da área afetada e da quantidade de estrias. É preciso fazer uma avaliação”, comenta a esteticista, ressaltando que alguns casos precisam de retoque. “Quando a pessoa tem muitas estrias e elas são fininhas, algumas acabam inchando e uma vai cobrindo a outra, não permitindo que você visualize todas. Então fazemos o retoque para fazer correção das que, eventualmente, ficaram para trás”. 
 
Se você já fez uma tatuagem, sabe que é preciso cuidar bem dela nos dias seguintes para que cicatrize bem e fique com o pigmento bonito, certo? Não é diferente com a camuflagem de estrias. “É preciso seguir os cuidados em casa: fazer 24 horas de gelo na região e, depois disso, passar uma pomada específica para hidratação. Assim, depois que aquela casca que surge durante a cicatrização cai, o pigmento não sai. Não pode pegar sol pelos próximos 60 dias e, após esse período, somente com protetor solar e não bronzeador”, orienta.
 
O procedimento é contraindicado para pessoas que apresentem queloide ou manchas escuras que surgem na pele depois de machucados. “Gestantes, diabéticos e pessoas em tratamento com quimioterapia também não podem fazer”, acrescenta a profissional do Glam. Mas se você não se enquadra nesses casos, e não quer mais ter que conviver com essas linhas que te incomodam, a camuflagem é o caminho!
RECEBA O NOSSO BOLETIM EM SEU E-MAIL!

--