Agronews

Milho já soma alta de 1,18% no mês

A pesquisa diária do Cepea apontou nova alta de 0,17% nos preços médios pagos na região de Campinas, principal praça de referência do país, para R$ 36,16/saca e, com isto os ganhos mensais do milho avançaram para 1,18%. Foi isso que informou o especialista Luiz Fernando Pacheco, analista da T&F Consultoria Agroeconômica. 

“A semana termina com valorização no mercado físico do milho. A comercialização permanece com baixo fluxo e os agentes com atenções no mercado externo, nos portos e no câmbio. O conflito entre EUA e China garante volatilidade em Chicago, embora a tendência não esteja definida. A alta significativa do Dólar frente ao real, porém, fez com que vendedores de milho diferido elevem suas pedidas no mercado local, uma vez que as ofertas de milho tributado também encurtaram”, comenta. 

Além disso, os preços oferecidos pela exportação, para vendedores distantes 600 km do porto, subiu para R$ 34,00 (33,63 do dia anterior) para setembro, R$ 34,79 (35,87) para dezembro e R$ 36,00 (37,07) para março de 2020. “Já os milhos importados do Paraguai chegariam ao Oeste do Paraná ao redor de R$ 32,64 (32,51 anterior); ao Oeste de Santa Catarina ao redor de R$ 35,96 (35,82) e ao Extremo Oeste de SC ao redor de R$ 35,49 (35,35)/saca. O milho argentino a R$ 53,40 (52,75) e o americano a R$ 61,66 (61,48) no oeste de SC”, completa. 

“Com relação aos preços dos principais consumidores de milho, os preços do frango voltaram a cair 0,21% no dia e 0,42% no acumulado do mês; os preços dos suínos também voltaram a cair 0,70% no dia e 6,14% no mês. Por sua vez os preços dos bovinos também caíram 0,23% no dia e agora estão em queda de 0,16% no mês”, conclui. 

RECEBA O NOSSO BOLETIM EM SEU E-MAIL!

--