Agronews

Mulheres do Oeste do Paraná se unem para produzir café especial

Agência de Notícias do Paraná

Há cerca de três anos, um grupo de mulheres dos municípios de Jesuítas, Iracema do Oeste e Formosa do Oeste foi estimulado e abraçou o compromisso de reavivar a produção de café na região. Não qualquer café, mas um especial que fizesse a diferença nas mesas das pessoas.

Para isso, as mulheres contam com o apoio de técnicos do Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná – Iapar-Emater (IDR-Paraná) e da Copacol. Em reuniões aprendem práticas para todas as fases da cultura, desde o cuidado com o solo e produção de muda até a comercialização, o que possibilita aumento da rentabilidade e aprimoramento da qualidade.

O estímulo foi dado pelo técnico do IDR-Paraná em Jesuítas,  Roberto Natal Dal Molin. Segundo ele, os altos custos e as dificuldades com mão de obra são entraves para que a cafeicultura volte com a mesma força de outrora nas terras tomadas hoje por soja e milho. “Mas sempre acreditamos no potencial da região para produzir cafés diferenciados, com valor agregado”, disse.

Em 2018, em contato com o Grupo Feminino da Copacol, o assunto ganhou força, motivado também pelo exemplo de grupos que se formavam no Paraná, como o Mulheres do Café do Norte Pioneiro. Um minilote de duas sacas foi trabalhado no mesmo ano na propriedade de uma das participantes e representou a região no concurso Café Qualidade Paraná ficando entre os 10 melhores.

APRENDIZADO - O grupo, de sete mulheres, foi incentivado a fazer plantios em suas propriedades e acompanhar o desenvolvimento. A produtora Adriana Maria de Oliveira, de Iracema do Oeste, é uma das que aderiram no projeto. Sua família tem experiência com o café, mas abandonou o cultivo em favor da soja. Segundo ela, o produto não era valorizado e a mão de obra, muito cara.

Há um ano, parte do mesmo terreno recebeu duas mil mudas, com previsão de aumento. “Tem sido um aprendizado muito gostoso ver o café de outra maneira, dar valor para a cultura”, afirmou a produtora. “Antes a gente ia na cooperativa, entregava e ficava por isso mesmo, agora a gente está conhecendo a bebida, os tipos de bebidas especiais.”

Adriana tem três filhos, um deles não está mais na propriedade. “A gente está querendo que os outros dois fiquem”, disse. Para isso, acredita que o café será grande atrativo. “A gente está querendo que eles também tenham esse amor pelo café porque a gente foi criado no café, a gente sabe como é o café.”

VALOR - De acordo com Dal Molin, o café especial, colhido seletivamente, possibilita importante adicional de ganho. Enquanto o produto beneficiado é vendido por cerca de R$ 7,00 o quilo, o selecionado encontra compradores dispostos a pagar até R$ 30,00.

Além da melhoria na produção e na qualidade, o grupo de cafeicultoras do Oeste já coloca em prática a verticalização da atividade, isto é, investe no beneficiamento. Elas aprendem a torra ideal e discutem a melhor forma de vender o produto. Até uma marca começou a ser construída: “Café na Lata, Mulheres do Café de Jesuítas.”

Por meio de parceria, são elas as fornecedoras do café na Sicredi Nossa Terra. Mas outros pontos passarão a ser explorados, exigindo aumento na escala de produção que, este ano, está em cerca de 60 quilos por mês. O técnico do IDR-Paraná espera que seja mais um incentivo para o engajamento de novas cafeicultoras.

CONCURSO - Com o espírito do cooperativismo sempre presente, o grupo tem se reunido para a colheita seletiva do café que vai representar a região no Concurso Estadual Café Qualidade Paraná, com inscrições abertas até 2 de outubro. Depois, o lote será industrializado e oferecido aos apreciadores como um café exclusivo e limitado.

A propriedade que serve como unidade de referência para a escola pertence ao casal de produtores Celina e Gilberto de Oliveira. “Fomos para a roça, estamos colhendo o café cereja, bem vermelhinho, estamos secando de uma forma toda especial para ter uma bebida especial”, disse Adriana. “Tem sido muito gratificante.”

 

 

Siga o Jornal Integração nas redes sociais e fique bem informado:
 
RECEBA O NOSSO BOLETIM EM SEU E-MAIL!

--