Cotidiano

Município de Assis investe na gestão dos resíduos sólidos

Prefeitura de Assis Chateaubriand

O Município de Assis Chateaubriand vem trabalhando, tanto na prática como na sensibilização dos moradores, para separação e disposição dos recicláveis para recolha da ACAMAR (Associação de Catadores de Materiais Reciclados), de acordo com cronograma do Programa Coleta Amiga de Resíduos Recicláveis.

No mês de julho, por exemplo, os associados da ACAMAR, em parceria com a Prefeitura Municipal, comercializou 39,5 toneladas de materiais, entre papel, plástico, vidro e metal. O objetivo é que esse volume seja crescente todos os meses, mas essa meta só será possível com o auxílio da população, sendo preciso que todos se conscientizem e façam a separação correta de seus resíduos, armazenando e dispondo para coleta da associação no dia e período correto em frente às residências e estabelecimentos comerciais.

Nesse trabalho, são separados mais de 20 diferentes tipos de materiais recicláveis que, posteriormente, são prensados e comercializados. Assim, quanto mais recicláveis forem disponibilizados, maior será a chance de novas pessoas se associarem a ACAMAR e melhor serão suas rendas. Em contrapartida, com a redução da extração de recursos naturais, minimiza-se a poluição do solo, da água e do ar, além de reduzir a quantidade de resíduos em Aterro Sanitário.

 

Novos investimentos

Engajado e disposto a melhorar a gestão dos resíduos sólidos no município, o prefeito João Pegoraro autorizou a contratação de profissionais da área ambiental e investimentos na ordem de R$ 1,2 milhão na Unidade de Valorização de Reciclados, numa parceria com a Itaipu Binacional, iniciada pelo deputado estadual Marcel Micheletto, enquanto prefeito. Também vem sendo feito planejamento de compostagem para reaproveitamento do resíduo orgânico e geração de adubo.

Nesta etapa, a Unidade de Transbordo está praticamente pronta e licenciada e, desta forma, rejeitos e resíduos não separados pelos moradores serão encaminhados para o município de Toledo, por meio do Consórcio Intermunicipal para a Gestão e Tratamento de Resíduos Urbanos do Oeste do Paraná, que conta com outras 32 cidades da região. Esse transbordo custará ao Município, em média, R$ 100 por tonelada.

RECEBA O NOSSO BOLETIM EM SEU E-MAIL!

--