Utilidade Pública

Município fiscaliza caçambas e exige separação correta de resíduos da construção civil

Município de Assis Chateaubriand Paraná

Entulhos misturados com recicláveis e outros não serão mais aceitos no Aterro Sanitário.

Desde o dia 19 de novembro (última terça-feira), a Prefeitura de Assis Chateaubriand em conjunto com empresas do setor de construção civil, especialmente as que realizam o transporte de entulhos em caçambas, iniciou um trabalho de conscientização para a correta separação dos materiais oriundos de construções, pois o Município passou a fiscalizar a destinação final destes resíduos. A partir de agora, entulhos misturados com recicláveis não serão mais aceitos no Aterro Sanitário.

A tarefa se faz necessária, pois o Aterro vem recebendo grandes investimentos para melhorias que tem por objetivo adequar e aprimorar o gerenciamento de resíduos produzidos pela população. Atualmente, está sendo construído calçamento poliédrico na área e, por isso, temporariamente, está impedido o acesso ao local. A previsão é que a entrada ao Aterro volte a ser liberada dentro de 20 dias.

Para que os materiais de construção civil sejam destinados corretamente, é preciso que haja a separação na fonte geradora, ou seja, na própria obra, explica Juliana Correia, assessora da Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente.

“Nas caçambas contratadas pelas empresas ou proprietários, devem ser colocados resíduos Classe A, que são reutilizáveis, como solos de terraplanagem, componentes cerâmicos (tijolos, blocos, telhas e placas de revestimento), argamassa e concreto, e peças pré-moldadas em concreto (blocos, tubos e meios-fios)”, explica ela.

Já os resíduos Classe B, que são os recicláveis, não podem ser destinados nas caçambas. Eles são embalagens plásticas em geral, canos, forro de PVC, embalagens de cimento, metais, vidro e fiação elétrica, que devem ser encaminhados para reciclagem, colocando-os para a Coleta Seletiva, que acontece semanalmente, de acordo com o cronograma para cada bairro.

“Caso os materiais não sejam separados na própria obra, os geradores estão passíveis de multa e as empresas responsáveis pelas caçambas poderão cobrar um valor extra para retirar os resíduos, já que terão que fazer a separação”, alerta Juliana.

Os compostos de madeira e qualquer outro resíduo verde, como galhos, folhas e gramas, não devem ser misturados com os demais resíduos e o destino final é o Viveiro Municipal.

Em caso de dúvidas, os proprietários podem entrar em contato com a Prefeitura.

RECEBA O NOSSO BOLETIM EM SEU E-MAIL!

--