Opinião

Não tem motivo para temer transgênicos, diz professora

Pixabay

A professora emérita de bioquímica e biologia molecular da Escola Técnica Superior de Engenheiros Agrônomos da Universidade Politécnica de Madri (UPM) Pilar Carbonero afirma que não existem motivos para temer os transgênicos. Ela salienta que "o que está acontecendo na Europa com plantas transgênicas é uma esquizofrenia intolerável". 

De acordo com ela, em 2050, teremos 10.000 milhões de pessoas, o que representa um desafio muito importante de escassez de terras e água agrícola, com a necessidade de fazer duas safras por ano. Cabronero reconhece que esses desafios implicam a necessidade de se fazer um esforço em todos os níveis, não apenas agronômicos. 

“Teremos que modificar a fisiologia das plantas com toda a tecnologia que temos à nossa disposição. A engenharia genética (biotecnologia) e a edição do genoma serão uma parte importante”, afirma a renomada cientista espanhola. 

Ela diz que que estão sendo colocados obstáculos, tornando praticamente impossível para um fazendeiro europeu plantar transgênicos, enquanto grandes quantidades de milho e soja vão diretamente para alimentar moinhos e para alimentar gado. E defende a legislação baseada no foco científico no produto final e não na metodologia utilizada. 

Sobre os obstáculos na União Europeia, Carbonero reconheceu que, ao tornar o processo de autorização mais complexo a extremos intransponíveis, o mercado de biotecnologia agrícola foi relegado às multinacionais, uma vez que são os únicos que conseguem lidar economicamente, deixando de fora as pequenas e médias empresas que não suportam isso.

RECEBA O NOSSO BOLETIM EM SEU E-MAIL!

--