Trânsito

Novos voos regionais alavancam o desenvolvimento no Interior

Agência de notícias do Paraná

Criado pelo Governo do Estado, programa de aviação regional começou a operar nesta terça-feira (22). Governador Carlos Massa Ratinho Junior acompanhou os primeiros voos e destacou que o programa vai agilizar o desenvolvimento do Estado. Voo inaugural partiu de Campo Mourão para Curitiba.

Dois potentes jatos de água batizaram simbolicamente as primeiras aeronaves que partiram com voos de Curitiba para o Interior do Estado inaugurando oficialmente, nesta terça-feira (22), o programa Voe Paraná. O voo 5545 partiu às 12h15 com destino à Guaíra, na região Oeste. O 5555 foi para União da Vitória, no extremo sul do Paraná. Antes disso, uma aeronave saiu de Campo Mourão, no Centro-Oeste, rumo à capital.

Outros seis deslocamentos, com partidas também de Francisco Beltrão e Paranaguá, marcaram o primeiro dia do programa. O governador Carlos Massa Ratinho Junior acompanhou a estreia no Aeroporto Afonso Pena, em São José dos Pinhais, recepcionando os primeiros passageiros com destino ao Interior do Estado.

Ele ressaltou o fortalecimento do desenvolvimento regional que o programa levará às regiões dos 12 municípios credenciados a integrar o Voe Paraná. “É muito importante para o Paraná devido ao potencial comercial e turístico do nosso Estado. Estamos conectando o Interior às principais cidades do País e, também, dando a oportunidade para o Brasil vir ao Interior do Estado, contribuindo com a economia regional”, afirmou o governador.

Ratinho Junior destacou, ainda, que o programa coloca o Paraná em um novo patamar, com o maior programa de aviação regional do País sob a coordenação da companhia aérea Gol, em parceria com a empresa Two Flex. “Demonstra que o Paraná está em um caminho inovador, com um novo fazer e um novo pensar. Buscando o desenvolvimento, você melhora a economia, e automaticamente amplia o número de empregos”, acrescentou.

CIDADES – Além de Guaíra, União da Vitória, Paranaguá, Campo Mourão e Francisco Beltrão, todos com deslocamentos nesta terça-feira (22), Arapongas, Paranavaí, Cianorte, Guarapuava, Telêmaco Borba, Apucarana e Cornélio Procópio também integram o Voe Paraná. Os voos são feitos por aeronaves Cessna Grand Caravan de até 9 lugares, com média de três a quatro voos semanais, dependendo da cidade.

Secretário de Estado da Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, disse que a parceria com os municípios foi fundamental para o sucesso do projeto. “Renovou a autoestima de muitas cidades, ligando municípios que não tinham essa opção. São 500 mil passageiros a mais voando pelo Estado do Paraná. Isso significa mais conectividade, mobilidade e integração”, afirmou.

Alberto Fajerman, assessor da presidência da Gol, confirmou que a companhia já vendeu aproximadamente mil passagens, com deslocamentos marcados até junho de 2020. “É a maior rede regional que a Gol faz no Brasil. O Paraná foi o Estado que mostrou o maior apetite para consolidar esse programa”, ressaltou.

SEGUNDO DIA – Nesta quarta-feira (23) haverá a estreia das linhas Curitiba-Arapongas (ida e volta); Curitiba-Paranavaí (ida e volta); Curitiba-Campo Mourão (ida); Telêmaco Borba-Cornélio Procópio (ida e volta); Telêmaco Borba-Curitiba (ida) e Curitiba-Cianorte (ida).

Ao todo, serão 67 voos semanais ofertados pela Gol, inicialmente para 10 cidades do interior. Os aeroportos de Apucarana e Guarapuava se encontram em fase final de adequação para também integrarem o projeto. Todas as cidades contam com população variando entre 32 mil e 155 mil habitantes.

REDE – Os avanços conquistados nos últimos meses consolidam o Paraná como uma das maiores redes do País em volume de decolagens domésticas por semana. O Estado é o terceiro maior mercado da Azul e o quarto para a Gol e para a Latam. Para ampliar as frequências, o governo reduziu a alíquota do ICMS da querosene de aviação de 18% para 7%.

NOVIDADE – A companhia Azul confirmou na segunda-feira (21) a implatação do voo direto entre Guarapuava e o aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP). As passagens já estão à venda. A operação será, inicialmente, com um voo semanal aos sábados, a partir de 07 de dezembro.

Após os órgãos competentes certificarem o aeroporto paranaense para operações por instrumentos, a Azul tem a expectativa de ampliar sua oferta de voos com cinco operações semanais na cidade dentro de um prazo de 90 dias após essa homologação.

A companhia já operava em Curitiba, Maringá, Foz do Iguaçu, Londrina, Cascavel, Ponta Grossa, Pato Branco e Toledo. Com a inauguração da base, o Paraná iguala Minas Gerais no número de cidades atendidas pela Azul, ficando atrás apenas de São Paulo.

O Governo do Estado e a área acertam, ainda, os últimos detalhes para abrir a linha Umuarama-Curitiba. É a terceira nova rota dentro do Estado apenas neste ano. Assim que o aeroporto ficar pronto, ele será certificado pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e a intenção da companhia é começar a operação em até 60 dias.

LATAM – A Latam anunciou a abertura de 71 novos voos semanais no Estado no primeiro semestre. A frequência passou de 198 para 290 por semana, aumento de 17%. A companhia já operava outras rotas regulares em Curitiba, Foz do Iguaçu e Londrina e, agora, Maringá se transformou na quarta base paranaense, o que encerra uma espera de 11 anos.

PRESENÇAS – Participaram da inauguração do programa o prefeito de Guaíra, Heraldo Trento; os deputados estaduais Hussein Bakri, líder do governo na Assembleia Legislativa, e Galo; Antonio Pallu, superintendente do Aeroporto Afonso Pena; e o presidente da Two Flex, Rui Aquino.
BOX
Economista estreia rota Curitiba-Francisco Beltrão

O economista Inácio Pereira, 40 anos, era um dos primeiros na fila do check in da Gol nesta terça-feira (23), no Aeroporto Afonso Pena, em São José dos Pinhais. Ele iria se descolar para Francisco Beltrão, com escala em União da Vitória, no voo que saía às 12h15 de Curitiba. “Estou muito feliz e otimista. Isso vai agilizar muito a nossa vida”, disse.

Pereira costuma fazer o deslocamento de 470 quilômetros entre Francisco Beltrão e Curitiba mensalmente. De acordo com ele, mesmo comprando a passagem perto do dia do embarque, vale a pena trocar o carro pelo avião. “A logística sempre foi muito difícil. Entendo que os voos vão agilizar processos e levar desenvolvimento a médio e longo prazo para a nossa região”, afirmou. “Os cidadãos precisam usufruir do serviço para fazer valer todo esse esforço do Governo do Estado”, completou.

RECEBA O NOSSO BOLETIM EM SEU E-MAIL!

--