Mundo

Oposição vence nova eleição em Istambul e impõe derrota a Erdogan

O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, sofreu neste domingo (23) seu maior revés em 16 anos ao ver seu candidato ser derrotado em uma nova eleição para a prefeitura de Istambul –o pleito original, também com trunfo opositor, fora anulado a pedido do governo.
Binali Yildirim, da mesma sigla de Erdogan, reconheceu a derrota pouco depois de os primeiros resultados oficiais mostrarem o nome da oposição, Ekrem Imamoglu, liderando a apuração.
A votação deste domingo é a segunda em menos de três meses na principal cidade da Turquia. A primeira aconteceu em 31 de março e apontou vitória de Imamoglu, do Partido Popular Republicano (CHP), com 15 mil votos a mais em um universo de 10 milhões de eleitores.
Mas a sigla de Yildirim e de Erdogan, o Partido Justiça e Desenvolvimento (AKP), entrou na Justiça alegando uma série de irregularidades na apuração do resultado.
O partido obteve primeiro uma recontagem dos votos –que manteve a vitória da oposição– e depois conseguiu, no início de maio, que o Alto Comitê Eleitoral anulasse o pleito, cassasse o mandato de Imamoglu (ele tomou posse em 17 de abril) e convocasse uma nova eleição para este domingo.
A decisão causou críticas da oposição e de observadores internacionais, preocupados com os avanços autoritários do governo Erdogan.
Os números, porém, mostram que a oposição conseguiu ampliar a vantagem na nova eleição.
Segundo a agência estatal Anadolu, Imamoglu conquistou 54% dos votos ante 45% de Yildirim, com 99% das urnas apuradas –na primeira votação, os dois tinham ficado respectivamente com 48,77% e 48,61%.
O novo resultado confirma, assim, a derrota de Erdogan, que enfrenta uma série de problemas econômicos, incluindo a alta da inflação e o crescimento do desemprego.
Além de perder Istambul, o AKP também já tinha sido derrotado em março em Ancara, capital e segunda maior cidade do país.
"Esta vitória marca um novo começo para a Turquia", comemorou Imamoglu, 49. "Não foi um único grupo ou partido, mas toda a Istambul e a Turquia que venceram estas eleições", acrescentou.
Imamoglu também afirmou estar pronto para trabalhar com o Erdogan para resolver os problemas da cidade.
No discurso em que reconheceu a derrota e desejou boa sorte ao adversário, o candidato governista também afirmou que o resultado mostra que a democracia continua funcionando bem na Turquia.
Istambul era comandada por Erdogan e seus aliados desde 1994, quando ele mesmo foi eleito prefeito.
O atual presidente, que no início da campanha mostrou-se discreto para evitar inflamar seus oponentes, voltou à cena nos últimos dias, multiplicando os ataques contra Imamoglu.
Erdogan passou a se esforçar para minimizar o impacto da votação de março e chegou a afirmar que essas eleições eram "simbólicas", além de prometer que aceitaria o resultado final.
Diante disso, Imamoglu apostou em um discurso unificador, repetindo como um mantra seu slogan: "Tudo vai ficar bem". A oposição, no entanto, temia que houvesse fraude e mobilizou um exército de advogados para vigiar as urnas.

RECEBA O NOSSO BOLETIM EM SEU E-MAIL!

--