Segurança

Paraná reforça divisas no combate ao crime organizado

Imagem Ilustrativa/ Pixabay

As forças de segurança do Paraná reforçaram a partir desta sexta-feira (31) a fiscalização e policiamento nas divisas com São Paulo, para evitar a entrada de criminosos no Estado. A medida se dá por causa do assalto ocorrido em Botucatu, interior de São Paulo, na última quinta-feira (30), quando mais de 40 homens estiveram no município com armamento pesado para assaltar um banco.  

 A intenção da Secretaria da Segurança é inibir a entrada de marginais no Paraná e evitar possíveis atividades de grupos criminosos. Todas as forças de segurança estaduais estão atuando de forma integrada na ação, que conta com representantes do Departamento de Inteligência, Polícia Civil, Polícia Militar, Polícia Científica, Departamento Penitenciário do Paraná, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Federal e demais instituições relacionadas.

COMPARTILHAR - Após reunião do secretário da Segurança Pública do Paraná, Romulo Marinho Soares, com a cúpula da segurança aranaense, foi definido que uma equipe do órgão iria até São Paulo, nesta sexta-feira para compartilhar informações e debater ações junto com a segurança pública daquele estado.

 Nas divisas com São Paulo foram implantados novos pontos de fiscalização, que contarão com reforço das forças policiais, além da intensificação do patrulhamento ostensivo em toda a extensão das divisas.

A coordenação operacional é da Polícia Militar, principalmente por meio do Batalhão de Polícia Rodoviária e setores de inteligência do Estado, e a investigação cabe à Polícia Civil. As outras instituições estarão no apoio. 

 OUTRA OPERAÇÃO - Também relacionado a forte repressão ao crime organizado, a Polícia Civil prendeu, na manhã desta sexta-feira (31), dois foragidos da Justiça. De acordo com a polícia, eles já cometeram crimes de roubos a bancos e estariam planejando um roubo à carro forte no Paraná.

 SÃO PAULO - Na última quinta-feira, mais de 40 suspeitos estiveram no município de Botucatu, em São Paulo, com forte armamento para assaltar um banco. Eles fizeram moradores de reféns e invadiram um batalhão da Polícia Militar daquele município, quando houve uma troca de tiros entre polícia e marginais.

 Apenas uma das agências foi destruída com explosivos. Nas outras, a polícia conseguiu conter a ação. Além disso, carros foram incendiados pelos suspeitos em duas rodovias de acesso ao município.

RECEBA O NOSSO BOLETIM EM SEU E-MAIL!

--