Agronews

Soja: Plantio no Paraguai registra maior atraso da história

Albari Rosa

O plantio de soja no Paraguai vem registrando o maior atraso da história, segundo informações divulgadas pela T&F Consultoria Agroeconômica. Além disso, ao redor do mundo, a empresa de consultoria afirmou também que esse início de semana foi mais um dia sem negócios para a China. 

“Compradores claramente aguardando pelo avanço das negociações entre China e EUA. Estima-se que o plantio de soja no Paraguai tenha atingido 92%, restando cerca de 250.000 hectares a serem plantados, significando o maior atraso da história para essa época do ano, sendo o norte do Paraguai a área mais afetada pelo atraso”, indica a consultoria. 

Nesse cenário, o mercado intermediário de Paper de Paranaguá não teve reportes, novamente, nesta segunda-feira. “Os prêmios da soja nos portos brasileiros voltaram a ser reportados para dezembro, ficaram estáveis para fevereiro e para março, caíram 2 cents para abril, subiram 1 cent para maio e caíram 3 cents para junho e para julho”, completa. 

“No porto chinês de Dalian o preço flat da soja-grão caiu para US$ 467,35/t, contra 468,31/t no dia anterior; o pellets de soja caiu para US$ 425,40/t (426,28/t). O preço do óleo de soja, recuou para US$ 903,59/t (905,45/t). Em Rotterdam, o principal porto não-China de demanda de soja e subprodutos, a soja-grão, acompanhando Chicago, caiu para US$ 376,00/t (US$ 380,30/t do dia anterior) para novembro; o pellets de soja, não teve cotação para novembro (380,00/t) afloat”, afirma. 

Os preços de alguns óleos vegetais, para o primeiro mês cotado, foram: o óleo de canola, para dezembro, subiu para US$ 904,95/t (901,52/t). 

RECEBA O NOSSO BOLETIM EM SEU E-MAIL!

--