Tecnologia

Unioeste inaugura Laboratório de Energia Solar Fotovoltaica tipo Estacionamento

Na próxima segunda-feira (dia 23) a Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste) irá inaugurar o primeiro Laboratório de Energia Solar Fotovoltaica tipo ‘Estacionamento’ da Unioeste. Fruto da parceria entre a empresa fornecedora de Painéis Fotovoltaicos Biowatts de Cascavel e da Unioeste.

O laboratório terá a capacidade de gerar 2.900kWh, o que corresponde a uma economia de R$ 2.320,00/mês na conta de energia da Universidade. O evento faz parte das atividades em comemoração aos 40 anos do Curso de Engenharia Agrícola da Unioeste, com participação dos Programas de Mestrado e Doutorado em Engenharia de Energia na Agricultura. A programação ainda inclui uma palestra, que será realizada às 13h30 na sala do Conselho Universitário – COU, e em seguida, ocorrerá a inauguração do Laboratório, às 15 horas, no Estacionamento do Campus de Cascavel.

O pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação, professor Reginaldo Ferreira dos Santos, explica que tudo se deu a partir da parceria com a Universidade do Chile. Assim, realizaram um simpósio de Energia Solar Fotovoltaica, que além de unir empresa e universidade, pode trazer uma outra visão acerca das fontes renováveis e geração de energia. “Passamos a ter o maior parque de energias renováveis do mundo. Além das hidrelétricas, o País é promissor nas áreas de álcool, biodiesel, biogás, eólicas, biomassa e a agora temos o mais recente e pujante parque solar”.

Segundo o coordenador geral do Núcleo de Inovações Tecnológicas – NIT,  Selmo José Bonatto, esta iniciativa partiu da necessidade de se criar um projeto, em conjunto com os cursos de Engenharia Agrícola, do Mestrado e Doutorado em Engenharia de Energia na Agricultura e Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa. “O objetivo é gerar energia elétrica a partir dos painéis fotovoltaicos, unindo ensino, pesquisa, extensão, capacitação, inovação e empreendedorismo, para criar ambientes de convivência, estacionamentos e outros espaços que possam servir a comunidade”.

 

Outros projetos

Dando continuidade aos trabalhos desenvolvidos pela Unioeste/NIT/PRPPG, de fortalecimento das parcerias Empresa/Universidade, será lançado o 3º Laboratório de Energia Solar Fotovoltaica, agora com a Indústria Balfar S.A. de Paranavaí, onde serão instaladas 36 placas. Essas placas podem gerar 1.450kWh, o que corresponde a uma economia de R$ 1.160,00/mês, na cobertura do novo Laboratório/Oficina do Carro Elétrico e Mobilidade Urbana da Universidade.

Segundo o Engenheiro Mecânico, Carlos Mota, responsável pelo Projeto de Mobilidade Urbana, com o uso de carro elétrico, “a Universidade entende neste momento que há uma transição tecnológica acontecendo nos setores de energia, transporte e mobilidade, evolução do processo de substituição de combustíveis fósseis e desenvolvimento de uma economia de baixo carbono”.

Prova disso, foi a realização do Simpósio de Energias Renováveis e Congresso de Energia Fotovoltaica promovidos pela Unioeste no Campus Cascavel. Entende-se também que a matriz energética do transporte e da mobilidade vem migrando rapidamente para a energia elétrica em muitos países desenvolvidos, e há países apostando em se beneficiar desse processo, como China, Finlândia, Suécia, Portugal, Estados Unidos entre muitos outros.

Ciente disso, e reconhecendo que parte do custo de produção da região é diretamente representado pelo transporte, e que a eficiência da mobilidade urbana impacta diretamente na produtividade e na qualidade de vida das pessoas, a Unioeste, cujos cursos de Mestrado e Doutorado em Energia na Agricultura já contribuem para a formação de pesquisadores e professores que por sua vez enriquecem a massa crítica e a mão de obra da região, entende que pode somar esforços com empresas e instituições para, através do desenvolvimento de soluções em mobilidade sustentável, proporcionar projetos de retrofit (conversão) de veículos a explosão para elétricos, que envolverão pesquisadores e alunos, empresas e usuários, fornecedores de tecnologia e equipamentos, além de outras instituições de pesquisa.

“Isso permite que outras empresas nos enxerguem também. Já temos cinco alunos de mestrado/doutorado ligados na área do desenvolvimento do carro elétrico. A prefeitura de Cascavel também está adquirindo carros elétricos e precisará fazer testes em mobilidade urbana, e como Universidade também procuraremos ter um aditivo em nosso convênio com a Fundetec para continuar as atividades para proporcionar a nossa cidade que tenhamos essa mobilidade elétrica”, conclui o professor Reginaldo.

 

Ele explica ainda que além de proporcionar “que nossos especialistas participem de projetos de ponta, entende-se que a sociedade se beneficiará por ter acesso a testes e resultados estatísticos que comprovarão as vantagens e viabilizarão os investimentos necessários para se acelerar a transição e os benefícios estratégicos decorrentes”. Exemplo disso, é a economia já verificada de até 30% de ônibus elétricos (obtidas da recuperação de energia na frenagem) no transporte urbano ser verificada em carretas rodoviárias, por exemplo, que transportam 90% do produto do agronegócio do Oeste do Paraná.

RECEBA O NOSSO BOLETIM EM SEU E-MAIL!

--