Tecnologia

Ações do Facebook se recuperam após escândalo e batem recorde

Ilustrativa Pixabay

As ações do Facebook se recuperaram das perdas registradas após o estouro do escândalo da Cambridge Analytica e se aproximam do patamar de US$ 200 nesta semana.
O Facebook abriu capital e passou a ser listado na Bolsa de Nova York em 2012.
Na segunda-feira, os papéis da companhia fecharam na máxima histórica de US$ 198,31, mas cederam para US$ 197,49 nesta terça -o dia foi de perdas nos principais mercados de risco do mundo, com o agravamento da tensão comercial entre Estados Unidos e China.
O recorde alcançado apenas três meses após a revelação de que dados pessoais de milhões de usuários da rede social foram utilizados pela consultoria Cambridge Analytica para interferir nas eleições americanas de 2016 contraria todos os prognósticos apocalípticos feitos.
À época, especialistas disseram que o Facebook precisaria mudar seu modelo de negócio, baseado na venda de publicidade direcionada aos usuários da rede, e grandes investidores pediram mudanças no comando da companhia.
Fundador do Facebook, Mark Zuckerberg acumula os postos de presidente executivo e presidente do conselho de administração da empresa.
A recuperação das ações do Facebook não é, no entanto, um movimento isolado: os papéis das gigantes de tecnologia americanas Amazon, Apple, Google e Netflix também vêm batendo recordes de alta nos últimos pregões.

RECEBA O NOSSO BOLETIM EM SEU E-MAIL!

--