Cotidiano

Última década foi a mais quente já registrada

A última década foi a mais quente desde que os dados começaram a ser registrado, anunciaram nesta quarta-feira a Nasa, a Administração Oceânica e Atmosférica dos EUA (NOOA) e o Escritório de Meteorologia do Reino Unido.

Os dados também mostram que 2019 foi o segundo ano com as temperaturas mais altas desde 1850 – quando começaram os registros sistemáticos sobre temperatura global – com uma média 0,95°C superior à do século 20, atrás apenas de 2016 (0,99°C).

O estudo conjunto também aponta que os cinco anos mais quentes dos últimos 170 anos foram documentados entre 2015 e 2019. Além disso, nove dos dez anos com as médias de temperatura mais altas desde 1880 estão inseridos nos últimos 15 anos.

Os dados de 2019 significam que este foi o 43º ano consecutivo com um aumento das temperaturas terrestres e oceânicas em relação à média do século passado.

Em 2019 foi registrado um aumento das temperaturas em relação a essa média de 1,42°C em terra e 0,77°C nos oceanos, sendo superado apenas pelas altas de 1,54°C na superfície terrestre e 0,79°C nos mares de 2016.

O ano passado foi o segundo mais quente já registrado na América do Sul, com uma média 1,24°C superior à do século 20, uma alta que só foi superada em 2015. Os cinco anos com as temperaturas mais altas dos últimos 140 no continente aconteceram desde 2014.

Na Europa, o ano passado também foi o segundo mais quente. Nos últimos seis anos foram registradas as temperaturas médias mais altas na história do continente.

Anteriormente, o mês de julho de 2019 já havia sido apontado ...

Moinho Consolata produtos

... como omês mais quente já registrado. Na ocasião, recordes de temperatura foram quebrados em diversos países europeus, como a Alemanha, Bélgica ou Holanda. Em Paris, por exemplo, os termômetros marcaram 42,6°C, a temperatura mais alta já registrada na capital francesa, ultrapassando o recorde anterior de 40,4°C alcançado em 1947.

A temperatura média na Europa subiu 0,14°C por década a partir de 1910, mas esse aumento se multiplicou por mais de três vezes desde 1981, até alcançar uma média de 0,46°C.

A América do Norte é a única região que não registra uma temperatura média anual entre as mais altas de sua história, pois no fim de 2019 foi afetada por uma onda de frio ártico.

O estudo divulgado nesta quarta-feira também ressalta que em 2019 foram registradas “chuvas extremas e seca” em todo o planeta.

RECEBA O NOSSO BOLETIM EM SEU E-MAIL!

--