Utilidade Pública

Jorge Lange: de frentista a deputado, um administrador político

Jornal Integração

Com um curriculum profissional enxuto, porém, digno do protagonista de sucesso empresarial, Jorge Lange, vice-prefeito de Cascavel, vem trabalhando, há 47 anos, para consolidar seu nome e pleitear uma vaga na Assembleia Legislativa do Paraná – ALEP. Falar em política no país, em meio ao turbilhão de eventos negativos, é melindroso porém, necessário para, justamente, separar o joio do trigo.E Lange é um desses raros políticos que traduz sua rotina em perseverança no futuro, com confiança, amabilidade e visão de comunidade.

Antes de construir uma carreira sólida, Jorge começou de maneira simples. Aos 11 anostrabalhou de frentista no Auto Posto Tamoyo, propriedade de seu pai que fora adquirida quando a famíliadeixou Querência do Norte (sua terra Natal) e aportouna promissora Cascavel em 1968.  O pai, de origem alemã, queria dar oportunidade aos filhos de estudar numa cidade maior. E os valores familiares e de trabalho lhes foram ensinados na infância. Isso serviu de base para Jorge conduzir sua jornada dentro dos princípios ético e moral, tanto na profissão quanto na política. Assim, respeitando a hierarquia familiar e o processo natural de um profissional que inicia a carreira com humildade, ele foi galgando degraus e ocupando espaços na empresa familiar até iniciar o próprio negócio em 1986.Com sua base educacional realizada no colégio Marista e graduação em ciências contábeis pela Fecivel (Unioeste), ele montou, aos 29 anos, junto com dois irmãos, a agência de viagens Langetur, a qual mais tarde foi vendida para um empresário da cidade. Nessa mesma época casou-secom Tânia Mara Lange e tiveram três filhos; Juliana, Daniel e Vanessa e dois netos; Rafael e Jorge Henrique.

Depois do sucesso empresarial com agência Jorge Lange aceitou, em 1998, o convite para assessorar Eduardo Sciarraque assumira a Secretaria de Indústria e Comércio do Estado no governo de Jaime Lerner. Desde então, a política tem sido seu trabalho e bandeira de vida, por acreditar no potencial de Cascavel e na pujança do Oeste paranaense. Nos cinco anos que assessorou Sciarra, foi quando o Paraná teve uma explosão de investimentos e o Oeste foi muito favorecido com investimentos em indústrias, principalmente do agronegócio, além de parcerias com Senai para formação de mão-de-obra na região. “Foi um período de muita realização porque você via a transformação acontecendo diariamente nas cidades e na vida das pessoas e isso nos empolgou, tanto a mim quanto ao Sciarra e nós fomos em busca de uma cadeira na Câmara dos Deputados para ele em 2002, conseguimos a eleição e continuei trabalhando com ele em Brasília, como chefe de gabinete” Lembra Lange com orgulho. Da capital federal, Jorge lembra que foi através do deputado a criação da Lei para o exército atuar com poder de polícia nas fronteiras, além da lei das pequenas e micro-empresas que deu um grande incentivo de investimentos absorvendo para a formalidade, os profissionais que não tinham acesso a crédito e crescimento por conta da informalidade. Também lembra das verbas e investimentos nas cidades da região, enfatizando alguns projetos de industrialização para Cafelândia.

Por esse caminho, Jorge já tinha pego gosto e apreço pela política de qualidade, foi quando o grupo entendeu que era ora dele pleitear a prefeitura de Cascavel. Depois de um ano e meio se preparando para disputar a eleição municipal em 2008, foi obrigado a desistir da campanha por conta da saúde: foram quatro infartos seguidos. Com isso, o grupo decidiu por apoiar a candidatura de Edgar Bueno que foi eleito e convidou Lange para ser o presidente da Cettrans. Quis o destino colocar Lange em mais um desafio e sua força e coragem não desapontou os cascavelenses. Em sua gestão, Lange tirou uma autarquia municipal falida, com R$ 8 milhões em dívidas, as quais foram quitadas em 12 meses de administração firme.  Foi um grande aprendizado e muitos feitos em sua passagem pela Companhia. Alí, Jorge conseguiu, com um time de qualidade, reduzir o número de mortes em acidentes de trânsito na cidade de 86 para 23 em apenas um ano, criando o hábito dos motoristas de trafegar na média de 60km por hora em grande parte da cidade. Antes de sair em 2011, ainda deixou uma das grandes obras de tráfego em Cascavel: os famosos binários que transformaram o cotidiano do cascavelense para circular de forma segura e rápida por toda a cidade, de norte a sul, de leste a oeste.

Diante de sua forma de trabalhar, mais uma vez, o grupo entendeu que ele deveria disputar a eleição de 2012. Mesmo com uma campanha franciscana, Jorge Lange tinha no dia 15 de setembro, 24% das intenções de votos contra o prefeito Edgar Bueno, com 34%, o que daria o segundo turno, porém, com a entrada do governador do estado na campanha do prefeito e fortes investimentos na campanha do terceiro colocado, o professor Lemos do PT, Jorge acabou em terceiro colocado. Ainda assim, obteve uma votação expressiva: foram 25 mil votos, o que diante das condições da disputa, foiuma grande realização eleitoral.

                Com um trabalho sempre exemplar, Lange fora chamado para voltar na assessoria do deputado Sciarra até 2014, quando por vontade própria o deputado desistiu de disputar o pleito, cedendo lugar ao professor Evandro Roman, também de Cascavel. Nesse ano, Jorge Lange foi coordenar a campanha de Leonaldo Paranhos para deputado estadual. Foi um ano de colheita farta, pois somente em Cascavel, Paranhos obteve 30 mil votos e 70 mil em todo o Estado. Depois, em 2016, Lange e Paranhos chegaram a estar separados na corrida municipal, porém, a parceria que dera certo em 2014 voltou com força total e decidiram por fazer a dobradinha no pleito municipal, sendo Paranhos para prefeito e Lange de vice. Mais uma vez participou de uma votação expressiva. Eles foram eleitos já no primeiro turno, diante de vários adversários e somaram 86.099 votos para sacramentar a eleição local. Além de Cascavel, apenas Londrina teve a eleição de 2016 decidida no primeiro turno. Na atual gestão Municipal, Lange assumiu a Secretaria de Obras e num curto espaço de tempo já realizou, como é de seu feito, inúmeras obras e mudanças, além de ser um vice-prefeito atuante. Neste ano, em janeiro, assumiu por 30 dias a prefeitura e manteve o ritmo acelerado de governo, realizando importantes ordens de serviços, como a revitalização da avenida Tito Muffato (Tancredo Neves) e enviou à Câmara Municipal o projeto de lei do IPTU com desconto para quem produz a própria energia solar e faz a captação de água de chuva, além de investimentos em asfaltos, construção de calçadas e pontes.

                Mesmo com um posicionamento público de administrador, a veia política sempre aflora e o projeto para ser candidato a deputado estadual veio forte com o apoio de Ratinho Junior, nome forte para disputar o governo estadual.  Jorge Lange é unanimidade no grupo e com apoio do ex-deputado Sciarra, de Evandro Roman e do prefeito Paranhos, o grupo entende que é sua vez de pleitear uma cadeira na ALEP, para que ele possa dar voz e representatividade ao Oeste paranaense, levando sua experiência e através do trânsito livre que tem no governo do estado.

“Nos hoje, somos seguramente a região que mais produz no sul do Brasil, contribuímos com muito para o estado, para a união, mas o retorno não é o que merecemos, ainda continuamos lutando por trevo, duplicação de rodovia, aeroporto por mudanças nas nossas cidades, por investimentos, indústria, empregos nós continuamos lutando muito e recebendo pouco, mas com a contrapartida financeira, da contribuição de riquezas a gente tá sempre permanecendo. Então, eu me propus, e tenho esse combinado de ser o elo entre os municípios do oeste do Paraná com o governo do estado, eu quero ser esse interlocutor para recuperar esses sonhos que a gente tem de muitos anos e transformá-los em realidade. Diga-se de passagem Cascavel e muitos dos municípios do entorno, que será a primeira vez, com o ratinho Junior sendo eleito, que iremos iniciar junto com o governo, as outras vezes a grande maioria dos municípios aqui estavam de carona ou do lado contrário na posição política do governador. Então eu acredito que é uma grande oportunidade de buscar essas realizações que são sonhos de muitos anos e transformar em realidade”. Enfatiza Lange.

Depois de uma hora de conversa com o vice-prefeito e ex-secretário de obras de Cascavel, Jorge Lange enalteceu que sua filosofia de vida é simples. “Olha eu sempre pautei a minha vida pela retidão do caráter, pela transparência, pela honestidade, e nunca me deixei nesses 20 anos de vida pública me levar pelo canto da sereia, eu acredito que o que faz a vida pública é você ter essa dedicação. Ter como missão realizar aquilo que você tem capacidade, competência para transformar a vida das pessoas, essa é a maior paga que um político pode ter, é ver a vida das pessoas serem modificadas por ações propositivas que ele faz, então esse é o meu Norte, esse é o meu caminho”. Lange ainda reforça que a valorização do Oeste é sua principal bandeira, independente dos municípios e tamanhos. A vontade é poder trabalhar para melhorar a infraestrutura da malha viária regional, a eterna luta pela melhoria nas estradaspedagiadas, onde em muitos lugares não tem nem mesmo uma terceira faixa, a exemplo do trecho entre Guaraniaçu a Cascavel com 70 quilômetros. Áreas como a da educação, da saúde e da segurança pública terão, em um possível mandato parlamentar, uma voz ativa e seu empenho para transformar os serviços públicos paranaense em prol da população.

RECEBA O NOSSO BOLETIM EM SEU E-MAIL!

--