Cotidiano

Práticas de governança no negócio desperta a confiança dos investidores

Por muito tempo, a visão dos negócios sobre a sua existência estava baseada meramente na obtenção de lucros, mas com o passar dos anos, muitas mudanças, principalmente decorrentes das transformações sociais e econômicas no mundo, impõem a necessidade das práticas de governança na empresa.

Essas práticas de governança ou governança corporativa representam um conjunto de práticas que têm como objetivo tornar equilibrada a relação entre o capital, a gestão, a família (empresas familiares) e a sociedade onde a empresa está situada. 

O consultor empresarial da T4 Consultoria, Marcelo Viana, explica que é necessário que o negócio tenha claro quais são os valores que deseja manter se o desejo é desenvolver uma cultura de governança corporativa no negócio.

“Os principais valores ressaltados nas práticas de governança na empresa são: responsabilidade, transparência e eficiência. Mas, para implementar esses valores é importante rever aspectos importantes no negócio, ou seja, é preciso que a empresa tenha total abertura para mudanças”, acrescenta o especialista.

Como implementar práticas de governança na empresa

Hierarquia estabelecida


É fundamental que esteja seja claro para as equipes que compõem a empresa quem são os líderes de cada setor ou a quem devem recorrer quando há a necessidade de uma autorização diante de uma tomada de decisão, por exemplo.

“Mas é claro que essa hierarquização precisa ser consciente e horizontal, ou seja, a importância de identificar as lideranças em um negócio é fundamental quando é preciso tomar uma decisão, principalmente se for um caso mais emblemático que o habitual”, esclarece Viana.

Frequentes reuniões e acompanhamento de processos na empresa

Dentre as práticas de governança na empresa está o constante cuidado em manter uma rotina de reunião entre equipes, sócios e Conselho Administrativo (se for o caso). Em todos esses encontros é fundamental que sejam acompanhados os projetos, relatórios, assim como é importante que o plano de ação seja constantemente revisto.

Conselho de administração

Também é chamado de conselho consultivo. A ideia de ter um conselho no negócio é a de conseguir acompanhar qual é o relacionamento da empresa com os stakeholders (todas as áreas envolvidas direta e indiretamente ao negócio), além disso, é uma maneira de mediar a relação entre os sócios do negócio e os demais colaboradores da empresa.

No geral, o conselho de administração ou consultivo é formado por pelo menos cinco pessoas, o que garante a diversidade de opiniões e compartilhamento de conhecimentos e experiências.

Transparência nas relações

Outro ponto importante dentre as práticas de governança na empresa é a transparência nas relações de todos os setores do negócio. Equipes, sócios, lideranças estão sempre promovendo discussões saudáveis e se mostram sempre abertos a mudanças, sejam quais forem.

Negócios que apresentam transparência em suas relações, que são adeptos da troca constante de conhecimentos, que discutem sobre o andamento da empresa, consideram as mudanças e tendências no mercado estão aptos a se destacar, ou seja, também ganham em vantagem competitiva.

Governança Corporativa gera confiabilidade ao negócio

Há alguns princípios que regem a governança corporativa que são: transparência, equidade, prestação de contas e responsabilidade corporativa.

Transparência está relacionada ao que já foi mencionado, ao cuidado ao estabelecer relações seja no âmbito interno ou externo à empresa.

Equidade, como o próprio nome sugere, tem relação com igualdade, ou seja, todas as partes (diretas e indiretas) à empresa precisam ter a informação de seu interesse e receber tratamento justo e igual.

Prestação de contas vai além de cumprir responsabilidades, envolve lidar com as consequências de ações e decisões de maneira íntegra.

Já a responsabilidade corporativa se refere principalmente a prezar pela viabilidade do negócio em todas as suas atuações (financeira, social, intelectual, ambiental, entre outras).

Viana explica que as práticas de governança na empresa também geram ao negócio confiabilidade junto a financiadores.“A governança corporativa gera ao negócio uma boa reputação, não apenas no mercado, mas diante de financiadores. Em um momento de captação de recursos para a ampliação da empresa, por exemplo, adotar práticas de governança faz muita diferença, demonstra aos investidores solidez financeira e administrativa”, acrescenta.

Adotar práticas de governança na empresa demonstra que o negócio é mais estruturado e estabelecido. “Isso pode fazer toda diferença na busca por investimentos, essa boa reputação passa a imagem de confiança, e não é só imagem, porque o negócio de fato demonstra estar alicerçado no mercado com uma governança corporativa”, conclui.

RECEBA O NOSSO BOLETIM EM SEU E-MAIL!

--